Publicidade

Publicidade

16/06/2009 - 11:51

A melhor forma de dar – e receber – carinho em um namoro

Compartilhe: Twitter

Especial Namoro Carinho. 1 – afago, carícia. 2 – meiguice. 3 – cuidado. Carinho é algo que todo mundo quer, mas ninguém sabe dar. Carinho para dormir, carinho no olhar, carinho com as palavras, carinho com a forma de demonstrar o amor, carinho na gratidão, carinho em datas especiais, carinho no sexo, carinho. Namorar e saber ser carinhoso é algo bem difícil e, para piorar, muitas pessoas confundem essa ‘ação’ com carícia. Se seguirmos no sentido denotativo da palavra, o dicionário pode acabar enganando. Carícia. 1 – demonstração de afeto; afago, carinho, meiguice. Não, está errado. Eu não acho que são sinônimos. Em um namoro, o melhor a se fazer é dar carinho. As carícias sempre surgem, mas elas, geralmente, acabam levando os dois para o lado sexual. O carinho leva os dois para o amor.

“Acho que carinho pode ser definido como uma coisa mais completa, que inclui não só o toque físico, mas atenção também. E carícia me parece mais físico, só”, diz Lili*, de 22 anos. Como o namoro é o tempo de descoberta, conhecimento, inovação e mudanças, o carinho é um dos pontos mais importantes da relação: é ele que vai definir se vocês vão ou não ficar juntos para sempre. Afinal, ninguém aguenta viver ao lado de outrem sem se sentir querido, importante, especial. No início, é comum que os pombinhos se apelidem, troquem muitos presentes, frequentem, juntos, os lugares queridos por um dos dois. Com o tempo, costuma-se dizer que a relação ‘esfria’. Na verdade, esta é a hora que evidencia que o carinho está indo embora.

Dar carinho não é só andar de mãos dadas ou lotar o outro de presente fora de ocasiões especiais. Apesar de isso ser muito bom, o ser humano precisa de mais. Movimentos simples, como adicionar um carinho enquanto andam de mãos dadas, pode mudar toda a ação. Fazer carinho na hora do beijo também é importante, é uma forma de você mostrar que está gostando daquilo e não quer que pare. O beijo, aliás, é uma das formas que mais demonstra o carinho do outro: um selinho quando se chega, um beijo inesperado, um beijo mais quente no cinema, um carinho extra, beijos incontáveis…

Além dessas ações de carinho, também é necessária aquela atenção especial para com quem se ama. Se preocupar, mostrar-se interessado nas conversas, discutir o relacionamento dos dois sempre que possível, de forma clara, objetiva, e sincera, ajudar na hora que surgem os problemas, ouvir, surpreender, dizer “eu te amo”, ser compreensível, aceitar mudanças, propostas de vida, imaginar um futuro à dois. São todas essas coisas que definem e prolongam uma relação.

Manter essa preocupação com o carinho acesa mesmo depois de anos de namoro é algo que muita gente não consegue. Aliás, a maioria das pessoas é boa em pedir carinho, mas nunca dá. Ou acha que dá, mas não é o suficiente. Carinho vai de cada um, basta você saber como agradar o outro. Ah! Não vale também fazer esperando receber. Isso tem que vir de dentro, do coração, e ser o mais sincero possível. A vida não funciona por trocas…

E você, como acha que é a melhor forma de dar carinho para o(a) seu(ua) namorado(a)?

* Nome alterado.

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , ,
12/05/2009 - 14:08

Ciúme de familiar existe?

Compartilhe: Twitter

Na minha família, tenho um primo que namora uma menina muito simpática. Nós, que sempre fomos bem unidos, saímos juntos várias vezes e acabei me tornando um grande amigo dessa garota. Eis que surgiu o problema: meu primo, louco de ciúme, começou a inventar algumas histórias com relação a mim e sua namorada. O resultado foi: a menina parou de falar comigo com medo de que ele terminasse a relação com ela. Ciúme de primo vale?

Olha, você pode ter ciúme de quem quiser, mas envolver alguém da família na sua loucura já torna tudo doentio demais para qualquer pessoa. Se você é a pessoa que tem ciúme do seu namorado com relação à uma prima, lembre-se que o garoto teve uma vida antes de te conhecer. Por isso, ele pode ter uma relação totalmente familiar com a essa garota e ela acabou se tornando uma grande amiga dele. É preciso mesmo ter ciúme disso? Tem gente que tem ciúme de celebridade, de melhor amiga, de ex-namoradas e tudo o mais, mas, de primos também?

Primeiro: se você se mostrar tão ciumenta a ponto de tentar acabar com a relação do garoto com a sua própria prima, ele pode se assustar e querer se afastar de você. Afinal, se você o está privando de viver com a família, imagina o que você poderá fazer em relação aos amigos? Sinceramente, eu acredito que não vale à pena levar em frente uma discussão envolvendo qualquer familiar da pessoa. Família é família, cada um tem a sua, com os seus defeitos e qualidades. Se você não concorda com algo, o máximo que pode fazer é conversar sobre o assunto e aconselhar o garoto com decisões que possam ser mais maduras que as dele, mas nunca pedir para ele se afastar de algum membro.

Se o ciúme tiver algum fundamento, tipo, um histórico familiar de relacionamento, converse com o menino e deixe claro o motivo da sua insegurança. Se ele entender e você souber impor o seu ponto de vista, você pode pedir para que ele não exagere nas brincadeiras e intimidades com a pessoa. Dessa forma, o relacionamento de vocês pode encaminhar sem futuras crises. Que tal?

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags: , , ,
06/05/2009 - 11:10

Como lidar com um namoro que não tem futuro

Compartilhe: Twitter

Na última segunda-feira, 04, uma revista norte-americana afirmou que a atriz e cantora Vanessa Hudgens teria dito ao seu namorado, Zac Efron, que gostaria de sair com outras pessoas. O motivo para tal declaração é que a moça ficou bastante chateada com uma entrevista que Zac deu onde afirmou que não pretende se casar antes dos 40 anos. A revista ainda afirmou que Vanessa esperava ficar noiva em, no máximo, dois anos. Claro que a gente não pode acreditar nessa situação, afinal, celebridades são cercadas de rumores. Mas e quando uma desilusão assim acontece na vida real? E quando você não vê futuro no seu namoro por causa de alguma coisa que o seu namorado fez? Qual é a melhor forma de agir?

Pois bem, o caso de Vanessa e Zac é muito peculiar, já que ambos são celebridades e vivem uma vida particular mais do que exposta. No nosso caso, meros mortais anônimos, as situações são bem diferentes. Antes de tudo, vale lembrar que Vanessa está com 21 anos e Zac com apenas 20. O moço, que começou a carreira agora, tem mais é que se focar na vida profissional, mesmo. Hoje em dia, é bem difícil encontrar pessoas que se casam antes dos 30. E sabe por quê? De certa forma, aprendemos a aproveitar um pouco mais a vida antes de se enrolar somente com uma pessoa. Hoje é bem raro encontrar aquela menina que ainda deseja casar virgem, ou encontrar pais que escolhem os noivos das garotas. Com essa ‘liberdade’ que as pessoas ganharam, elas começaram a testar melhor as opções para, por fim, encontrar a pessoa certa.

Claro, é comum que as garotas esperem que o menino faça um pedido o mais rápido possível. Vamos adaptar para o pedido de namoro – na nossa idade, é bem mais fácil rolar isso do que um pedido de casamento, né? O lance é até meio clichê: uma garota fica com um cara, que beija, beija, beija, mas nunca dá o “próximo passo” para a relação. Aí depende muito da forma como você encara a vida. Se você acredita que ficar com alguém durante um tempo, sem se envolver com outras pessoas, já é um namoro, então você está pronta para gritar para o mundo todo ouvir que você está namorando. Agora, se você é daquelas que precisam de um pedido oficial, com todas as letras, para assumir que namora, então vai ter que dar algumas indiretas para o menino. Muitas vezes nós não damos tanta importância para esses detalhes de uma relação e deixamos passar, magoando a menina sem perceber. Ou isso tudo pode acontecer por vergonha, mesmo. Varia…

O problema é quando você não vê um futuro para os dois, saca? A relação ficou morna, vocês não têm mais vontade de se encontrarem, você já ficou sabendo que o menino sente falta de sair com outras garotas e, para piorar, ele não dá nem sinal de que quer um namoro oficializado contigo. Para relações sem futuro, eu sugiro o fim. Afinal das contas, de que vale se esforçar e se sacrificar para ficar com alguém se, no fundo, você sabe que vai morrer na praia?

Quanto à Vanessa e ao Zac, o moço ficou, é claro, chateado. Disse que não concorda com a sua namorada sair com várias pessoas e afirmou que ainda se sente muito jovem para um compromisso mais sério. Agora, vem cá, com tanta especulação sobre a sexualidade do garoto, imagina se ele ainda ganha o fardo de corno? Haja terapia!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , , ,
07/04/2009 - 11:26

Os dilemas de um namoro

Compartilhe: Twitter


Para que namorar? Ultimamente, muitas pessoas andam me fazendo esta pergunta. Depois que o “ficar” apareceu, parece que os relacionamentos sérios ficaram um pouco de lado. Eu poderia dizer que isto é culpa da modernidade líquida, que deixou de lado o verdadeiro sentido e razão do amor para, na real, fazer a pessoa achar formas de se afirmar cada vez mais na sociedade de qual faz parte. Ou, sei lá, eu poderia afirmar que todo mundo perdeu a necessidade de compartilhar o mais íntimo da sua vida com outro, já que estamos passando por um momento onde o individual é bem quisto. Mas, do fundo do coração, o que eu sinto vontade de dizer é: para ganhar um beijo mais que especial antes de dormir e sentir o braço de quem se gosta em cima de você a noite toda. Para viver…

Para muitos, namoro é sinal de cobrança. Claro que não vou tirar a razão de ninguém, existem ‘n’ formas de se relacionar. Tem gente que preza pela liberdade, tem gente que adora ficar juntinho. Mas o mais importante de se namorar é aprender a ceder.

Não adianta tentar escapar. A partir do momento em que você se enfia em um namoro, você tem que compartilhar a vida e aprender a entender o outro. É o seguinte: namorar não é só companhia gratuita e disponível 24/7, não. A gente tem que dar muito da gente para poder ficar junto, por mais difícil que isso seja.

Esses dias, duas amigas vieram pedir socorro pois o seu namoro estava indo água abaixo. A reclamação de ambas era que “ele não me dá atenção quando preciso”. Ou seja, o que aconteceu é que, no começo, o garoto ficou todo encantado pela menina. Depois de um tempo, ele simplesmente resolveu tratá-la como uma mera amiga. É aí que muita gente erra.

Namorar é se apaixonar a cada dia. Se você pula um dia, o encanto some. O mito cai. Daí não adianta mais nada. Para todos os meninos do mundo que deixam de tratar a sua namorada como ela merece, um aviso: o mundo está lotado de homens. Assim como está lotado de mulher, é claro. Você não vai ficar sozinho se ela terminar com você. Mas dar valor para o que se tem na mão é interessante. Ligar sempre, mandar flores, responder com carinho, dizer que ‘ama’ nas ocasiões certas e de boca cheia… Isso tudo faz a diferença.

Um namoro não é só a companhia, não é só passeios divertidos, não é momento inesquecíveis juntos. Um namoro pede muito mais, pede compreensão, pede carinho, pede declarações, pede, acima de tudo, que a outra parte mostre todos os dias o quanto o outro é importante para ela, como a vida fica mais sem graça se essa pessoa não existisse.

Quando se ama, um dos maiores prazeres da vida é fazer a outra pessoa sorrir e se sentir bem. Se você perdeu essa vontade com o tempo, deixe de se engabelar e enrolar a garota. Tome uma atitude; seja ela pro bem ou pro mal.

E você, o que acha de namorar?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , ,
10/03/2009 - 09:37

Como conviver com os hábitos estranhos do seu namorado

Compartilhe: Twitter

Conviver ao lado de alguém é muito, mas muito complicado. Cada um é criado de uma forma, com certas maneiras e costumes. Obviamente, quando você acha um namorado, vocês, em um geral, serão muito diferentes. Ele, por exemplo, pode gostar de apertar a pasta de dente no começo do tubo. Você, no final. Apesar de parecer uma besteira sem importância, saiba que isso pode render várias discussões em seu relacionamento.

Namorar alguém é isso: conhecer outra pessoa, compartilhar hábitos e aceitá-los, acima de tudo. Cada um tem que ceder um pouquinho para que o outro ganhe espaço e se sinta à vontade ao seu lado. Não adianta você ficar cobrando para que o menino mude todas as manias dele pois você não gosta. Não é assim que a vida funciona, infelizmente. Quanto mais você cobrar mudanças repentinas na vida de alguém, mas a pessoa se afasta de você. O legal da relação é ir conhecendo o outro de pouquinho, se acostumando com os hábitos – que, ao seu ver, são malucos de doer – e ir tentando se adaptar.

Caso exista alguma coisa que o seu namorado faça que te deixe muito irritada, tente ir mudando esse hábito aos poucos. Converse com ele para – muito importante – que ele descubra que ele tem aquele hábito. Muitas vezes, as pessoas têm movimentos tão robóticos que nem percebem que existe algo não casual ali. Por exemplo, eu tenho uma mania incrível de sair do box do chuveiro todo molhado e, por isso, acabo deixando o chão lastimável. Se alguém não tivesse me dito isso um dia, eu nunca ia me tocar e começar a me enxugar antes de sair, né?

A real é: todos somos diferentes. Por mais que queiramos ser iguais à outras pessoas, sempre mantemos algo de nós. É a nossa personalidade, nossa essência. É isso que nos difere do resto do mundo. Então, será certo mudar?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , ,
03/03/2009 - 12:13

Sleepover: a cama alheia é mais gostosa

Compartilhe: Twitter

Chega uma hora na vida dos adolescentes que a cama do outro é sempre melhor do que a sua. Ainda mais se ela já estiver ocupada com alguém. O único problema dessas mudancinhas de casa são os nossos pais. Ir, uma vez o outra para a casa do namorado, tudo bem. Agora se você disser que vai dormir lá, já fique preparada para um sermão interminável. De vez em quando, com razão…

Para nós, é supercerto e não tem nada demais sair e ir dormir na casa do nosso namorado. Se é normal ficar na casa das amigas, não tem problema algum passar a noite com o gato, certo? O problema é que depois que rolar a primeira vez, provavelmente você irá gostar tanto que vai querer repetir a dose todas as semanas. Isso vai ser uma das suas primeiras formas de expressar a sua liberdade, de mostrar que você está crescendo e precisa de certa independência. Ops! Não é tão fácil assim deixar a saia da mãe, não.

Pai, vou lá no Joãozinho e volto cedo. Cedo da manhã.

Qual a melhor forma de pedir para que seus pais autorizem a dormidinha na casa do namorado? Primeiro de tudo, você tem que provar à eles que os pais do garoto vão estar por lá. Mesmo que não estejam, faça parecer que eles vão ficar assistindo novelas no meio de vocês. É óbvio que se você dizer que vai ficar sozinha com o garoto na casa dele, a resposta vai ser não. Se tem gente grande na parada, a história já muda. Depois, você tem que ir conversar com os seus pais para mostrar à eles alguma firmeza, dizer que só vai ser uma noite de diversão, para vocês assistirem filmes e comerem pipocas juntos. O máximo que vai rolar serão alguns beijos no sofá. Só! Se você tiver outras intenções com o garoto, não acho errado contar, não. Caso você tenha uma boa relação com os seus pais, é uma daquelas filhas que compartilha tudo com a mãe, espere um momento e diga a real para ela. Com certeza, com sinceridade, as coisas ficam mais fáceis.

Se seus pais recusarem e não darem o braço a torcer, aceite. Afinal das contas, são eles que pagam as suas contas. Depois de um tempinho, tente de novo. Um dia, claro, eles irão ceder.

Sogrinha, cheguei!

Tá, seus pais deixaram, você já preparou a sua linda mala rosa e está na porta da casa do garoto. Lembre-se que uma sogra amiga é a melhor pedida para um namoro. Educação é a palavra-chave para sua estadia na casa alheia. Tente se controlar nas palavras, nos amassos públicos, ofereça para lavar a louça, ajudar a cozinhar. Sei lá! Mostre-se útil e educada. Se você chegar zoneando a casa do menino, provavelmente será a sua última vez por lá.

Claro que desastres acontecem. Uma antiga namorada, por exemplo, na primeira vez que foi conhecer minha família levou uma garrafinha cheia de água para dar conta do calor. No entanto, a tampinha estava meio aberta e ela foi abaixando para cumprimentar a todos. Não deu outra, voou um pouco de água no colo de cada um. Logo depois, na cozinha, ela foi pegar um pouco de refrigerante e a garrafa explodiu bem no rosto dela. A família toda riu, claro, mas, com isso, ela conquistou a empatia de todos.

Hora de dar tchau

Depois de passar a noite com o menino, é bem triste ter que deixá-lo. Porém, você não deve desanimar. Depois da primeira vez, as próximas serão bem mais fáceis. Claro que você não deve se acostumar, senão os seus pais vão encrencar e, pior, a família do menino pode começar a achar chato. Tente manter um ritmo, combinar de ficar juntos umas duas vezes ao mês. Assim, todo mundo fica contente =)

E você, já dormiu na casa do seu namorado? Como foi os trâmites para convencer os seus pais? Conte aí!

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , , ,
02/12/2008 - 13:01

E depois da bota… a esperança?

Compartilhe: Twitter

* Antes de tudo, devo agradecer a Thaís, do Dica do Dia, que me colocou na seleção dos 10 blogueiros mais bonitos. Tha, um beijão e obrigado =)

É normal que, quando a gente começa a namorar, nossa vida passe por várias reformulações. A primeira coisa que perdemos, como já disse aqui antes, é a liberdade. Liberdade para sair, liberdade para conhecer pessoas, liberdade para ter um estilo de vida que não se compartilha, enfim, liberdade para viver a nossa vida. Junto com essas mudanças, a gente acaba se afastando totalmente das outras pessoas que nos cercavam e deixamos de lado vários hábitos antigos, como, por exemplo, a balada de sexta-feira com os amigos do colégio.

Enquanto se namora, nada disso é problema. O susto aparece quando tomamos uma bota. A primeira pergunta que vem na cabeça é: “E agora?”

1 – De volta pro mundo
Depois da bota, precisamos nos reerguer socialmente. Como assim? Quando a gente namora, a gente deixa que o nosso namorado se torne a nossa vida e, por isso, esquecemos de alguns amigos, colegas e conhecidos. Depois de solteira, é à eles que você vai ter que pedir socorro. Comece a se envolver novamente nos programas que tinha costume, converse com todo mundo, marque baladas, vire a noite na internet procurando novas pessoas no Orkut. Não importa, você precisa de novos contatos, você precisa restabelecer velhas conexões para conseguir passar por essa fase ‘ruim’ da sua vida.

2 – É hora de ficar bonita
Eu sempre fui um dos adeptos de que temos que estar bonitos sempre para o nosso amado. Não importa se a gente já arranjou uma pessoa especial para compartilhar a vida, a gente sempre tem que continuar se cuidando. Desleixou um tempo porque achou que já achou o cara? Então é hora de voltar com o regime, de sair para fazer compras, de fazer um curso de maquiagem e cortar o cabelo. Dê uma repaginada. Namoro velho, vida nova.

3 – Velho é novo
Quando a gente está com alguém, sempre pegamos os mesmos hábitos da pessoa. É incrível como nossa essência muda e como conseguimos gostar, por exemplo, de bandas que nunca pensávamos em escutar. Tudo para surpreender o gato e para ter assunto com ele. Agora é a hora de aproveitar a sua vida e curtir aquilo que você gosta. Pegue os seus CDs antigos, vá ver os filmes meloso que você sempre adorou, coma pipoca doce ao invés de salgada, pegue o chocolate branco. A vida agora é só sua, nada de compartilhar mais gostos com alguém.

4 – Gaste
Se você trabalha, sabe como é difícil manter um namoro. Você sempre tem que ter uma graninha guardada para quando vocês vão jantar naquele restaurante mais caro ou quando você tem que comprar presentes para ele no meio do ano (para fazer um mimo, uma gracinha. Supervale a pena) ou até para as viagens de meio de ano juntinhos, debaixo das árvores, com os passarinhos do campo… Chega disso. Agora toda a sua grana é sua. Gaste com você, compre o que quiser, vista-se do seu jeito, realize todos os seus desejos. É a hora de gastar as economias do Natal à dois para um só…

5 – Quem não namora, não aprende
Acabou? Então tem que começar. Agora que você está livre no mercado, tem que começar a procurar outro ombro para se apoiar. Além de refazer todos os seus amigos e contatos, fique de olho bem aberto para futuros casinhos que podem surgir. Essa é a hora que você tem para se sentir mais bonita, desejada, querida pelas outras pessoas. Coisa que, no seu namoro, provavelmente você perdeu, já que seu namorado querido sempre elogiou o vestido alheio, mas nunca reparou no item idêntico que você tem no seu guarda-roupa.

6 – Amassa e joga fora
Um erro grande é lamentar as dores do passado. O cara te deu uma bota? Então é ele que te jogou para o mundo. Se quiser ter lembranças, guarde todas as fotos e recadinhos em uma caixa, para você poder ler depois, mais tarde, quando já tiver superado. Agora não é a hora de fuçar o Orkut dele em busca de recados alheios ou coisas assim. Deixe o cara respirar, ter um tempo sozinho. Quem sabe ele não sente falta?

7 – A esperança é a última que morre
Muitas vezes, quando a gente termina um namoro, sempre ficamos esperando que a pessoa irá se arrepender duas horas depois e ligar implorando por perdão. Acredite, eu já fiz isso. Mas a vida não funciona assim. Se o cara teve a iniciativa de dar um basta, então aproveite o tempo e tente pensar um pouco na sua vida. Tente avaliar o quanto você perdeu com ele e o quanto você ganhou. Um namoro sempre tem os seus lados ruins, mas são os bons que fazem dele inesquecível. Agora é hora de botar tudo em cima da mesa e ver o que realmente vale a pena.

8 – Amanhã eu vou…
Chega de se planejar. O futuro agora é incerto. Viva =)

E você, tem mais dicas para “o dia depois da bota”?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
28/10/2008 - 13:36

Quando ex-namorada é realmente (e nada mais do que) uma ex?

Compartilhe: Twitter

Existe todo um preconceito e medo que ronda as ex-namoradas, muitos acreditam que ex que é boa é ex morta. Não necessariamente nesta ordem, claro. Nós, meninos, que não somos bobos e nem nada, nunca vemos mal algum em andarmos próximos às nossas namoradas antigas. Claro, a gente não quer enxergar nada demais. Porém, para o outro, a situação pode ser bem chata.

Existe um milhão de tipos de ex-namoradas. Têm aquelas que continuam apaixonadas pelo garoto, têm aquelas que desencanaram totalmente e agora só querem a amizade, têm aquelas que não gostam mais do garoto, mas querem que todo o mal do mundo aconteça com ele… Enfim, a gente só tem que saber avaliar as pessoas.

Muitos garotos acreditam que as meninas, melosas que só, demoram muito tempo para esquecer os seus namorados. Quando a relação termina, existe toda aquela choradeira, lamúrias, e-mails e ligações para tentar consertar o acontecido. Porém, muitos meninos não se tocam que a gente pode demorar muito mais tempo para esquecer a antiga amada do que elas. Sei lá porque, mas a chance de uma recaída é forte quando nos deparamos com a ex e, por isso, sua namorada, que entende as mulheres e sabe como elas podem ser malvadas quando querem, fica com ciúmes.

O ideal, para os meninos, é tentar não ficar de muita conversinha com a ex, senão a sua garota pode acabar se magoando e isso pode gerar uma boa briga. Para as meninas, o certo é evitar ataque de ciúme – apesar de parecer difícil nesta situação. Afinal, agora é você quem está com ele, não ela.

E você, já teve problema com as suas ex?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
16/09/2008 - 17:08

Relacionamento aberto: cola ou não cola?

Compartilhe: Twitter

Ah, essa modernidade. Nos tempos dos meus pais, namorar com alguém era sinônimo de exclusividade, de perda de liberdade, de estar apaixonado por uma pessoa, onde “uma” não é um artigo indefinido. Atualmente, muito se fala sobre os relacionamentos abertos, que são nada mais do que a falta de um relacionamento fixo, firme e viável. Em minha opinião, um relacionamento aberto pode ser duas coisas distintas. Vamos lá…

O primeiro caso é das pessoas que não descobriram ainda o amor. Ficar com alguém por segurança e por gostar bastante não quer dizer que você está apaixonada por tal pessoa, não. É aquele lero-lero de sempre, você só vai saber que está amando quando, de fato, amar. Por isso, muitos jovens entram nessa onde de relacionamento aberto. A pessoa é querida o bastante para ser “namorado”, mas não é grande o bastante para ser único. Entende a relação? Quando você não gosta de verdade de alguém, quando você não está apaixonada, você não vai ligar muito para o que a outra pessoa irá fazer. Rola, de vez em quando, até um pouquinho de ciúme, mas tudo é passável.

O outro caso é quando as pessoas realmente se amam, mas, por alguma falha, deixam que o relacionamento tome proporções “estranhas”. É aquilo, você segue o tempo todo por um caminho correto e, sem querer, você desliza… E gosta. Os relacionamentos abertos criados por quem realmente se gosta geralmente vêm de uma relação que perdeu a graça e precisa de um apoio, uma novidade para se manter viva. Daí os cônjuges acreditam que a opção é variar. Por mais gostoso que se pareça na hora, a insegurança que isso irá criar em cada um pode gerar o final definitivo da relação.

Eu, que sou cabeça oca e venho vivido um tanto, aprendi que relacionamentos abertos definitivamente não são legais. Ou você ama alguém e se entrega totalmente para tal pessoa – de corpo e alma – ou fica disponível para poder variar.

Claro que isso é a minha opinião e você pode não concordar com nada do que eu falei. Se tiver interesse, leia “O Amor Líquido”, de Zygmunt Bauman e, devagar, tente entender como funcionam os relacionamentos atuais.

E você, já viveu algum relacionamento aberto? Se sim, conte sua experiência pra nós! Se não, conte o que você acha do assunto nos comentários 😀

Beijossssssss

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , ,
22/07/2008 - 13:16

Brincar de namorar

Compartilhe: Twitter

Para as meninas, a parte mais difícil de uma relação é assumir. Todo mundo quer se assumir. Eu só ainda não entendi o que. Depois do começo da “ficada”, se ela dura um tempo, as garotas logo vão pensando em namorar e, é claro, culpam a nós, os meninos, por não tomarmos nenhuma iniciativa. Por que a gente é assim? Porque somos um pouco menos utópicos e despreocupados. Nós, quando pequenos, não ouvimos tantos contos de fadas…

Não é malvadeza minha dizer isso, acredite. O que se passa na nossa cabeça é que se a gente se envolveu com alguém e continuamos com esse “lance”, é que estamos juntinhos e, por isso, já temos alguma coisa com a garota. Muitos meninos não se tocam que ainda precisam pedir a menina em namoro, para nós, o tempo junto já diz automaticamente que um namoro está acontecendo. Mas sempre existe aquela situação chata em que um familiar chega perto e pergunta para o moço: “essa é a sua namoradinha?”. Daí vem aquele momento constrangedor em que você tenta negar, ele fica com as bochechas enrubescidas até que um diz “não, é só amiga”. Pronto, isso basta para você sair correndo para o banheiro e ligar para a melhor amiga e lamuriar toda a vida.

As regras do jogo

Pois bem, todo mundo quer namorar e a gente não sabe o que fazer. A maioria das reclamações envolve esse lance de assumir a relação, de dar a ela um rótulo: namorando. É mesmo importante ter isso na sua vida? Muita gente não passa por esse pedido e seguem tranqüilos pela vida de casal. O certo seria saber, automaticamente, quando se está namorando. Antigamente, não havia toda essa coisa de ficar. Se você beijava alguém, já estava de namorico. Hoje as pessoas inventam de tudo para fugirem de um relacionamento sério. Ninguém quer mais compromisso, todo mundo quer só curtir a vida.

Eu penso assim: existem os beijos de “balada” e os outros beijos. Se você beija alguém só por uma vez, aquilo não é um namoro. Se você fica com alguém e continua se encontrando com tal pessoa, vai a jantares, ao cinema durante um período de um mês, está namorando. É meio óbvio, a gente que não quer assumir tal compromisso. Eu entendi como as coisas funcionam, por isso prefiro pedir às pessoas com quem me envolvo em namoro. Nas minhas relações, gosto de deixar bem claro o que estou vivendo, em qual fase estamos.

Para as meninas que ainda estão em dúvidas e fazem questão de um pedido oficial, a melhor coisa que se tem para fazer é jogar o cara na parede. Deixar bem claro que você quer namorar, que você quer algo sério com o garoto é um ponto crucial para a relação. Se o menino é daqueles que nunca te apresenta como a namorada, cobre-o. Não há nada de errado e feio nisso. O grande problema é que as meninas devem começar a se sentir mais seguras, devem ser mais confiantes em si mesmas. Afinal, por que ele é quem deve decidir quando se começa um namoro e não você? Se juntos e bem conversados, a hora ideal para gritar para todo mundo que se está namorando é quando os dois já perceberam que o outro é essencial para o dia a dia.

Agora eu quero saber: existe alguma menina que pediu o garoto em namoro?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
Voltar ao topo