Publicidade

Publicidade

14/01/2010 - 13:43

Meu namorado é um bobão

Compartilhe: Twitter

200307554-001

“Oi Caio, me chamo Babi, tenho 20 anos e o meu namorado também. Estou, no momento, namorando há nove meses e, de um tempo para cá, estou ficando incômoda com uma coisa: meu namorado é uma criança boba. Eu gosto muito dele, ele é muito fofo e carinhoso comigo, só que o jeito infantil dele me incomoda. Já tentei dar algumas indiretas nele, para ver ser mudava alguma coisa, mas nada adiantou. Minha mãe me disse que ninguém pode mudar o jeito de outra pessoa, que eu tenho que esperar ele se tocar que está sendo infantil o tempo todo com as brincadeirinhas e com o jeito dele. Eu, no entanto, sou mais madura. Até na hora de decidir os programas isto tem atrapalhado um pouco. E o pior: meus amigos, primos e conhecidos ficam chamando ele de banana, crianção. Queria saber se existe alguma coisa para fazer ele perceber como é e tentar muda.

Me ajuda? Beijão!”

Todo mundo, em algum momento, já ouviu aquela história de que as mulheres amadurecem antes que os homens. Na vida, a gente consegue perceber isto, de fato. Na verdade, tudo não passa de questões de princípios e criação. Enquanto os homens chegam aos 25 anos pensando em videogame, futebol e moças, as mulheres, aos 20, já estão pensando em constituir uma família, montar uma casa e, mais recentemente, em ter uma boa profissão. Pensando assim, não sei se a palavra certa é ‘amadurecer’, tendo mais para questões de diferenças, mesmo.

Além de toda esta discussão, vale lembrar que cada pessoa tem o seu estilo, seu jeito. Existem meninos que são brincalhões, bobões, por assim dizer, e outros que são mais sérios. Vai de você se apaixonar por aquele que gosta. Lembrando que paixão não engloba somente o físico, por isto que, antes de qualquer relacionamento, você precisa conhecer bem a pessoa. Se teu namorado é assim, quer dizer que você se apaixonou por ele assim. Claro, existem adaptações que devem ser feitas no decorrer do namoro para que os dois consigam ter uma boa vida juntos, caso contrário, vocês viverão em guerra eterna.

Não dá para mudar as pessoas. Você consegue moldar, mas nunca criar um novo alguém. É bom lembrar que, antes de você, o garoto teve uma vida, um estilo de criação e uma personalidade que demorou anos para ser criada. Caso você comece a criticar tudo o que o menino faz, ele vai começar achar que tem alguma coisa de errado: ou é ele, ou é você. O natural do ser humano, claro, é culpar você. A gente sempre tem razão.

Conselho: não tente mudá-lo, mas tente podá-lo. Converse sobre os tipos de brincadeiras e assuntos que você não goste, deixe claro as coisas que você curte fazer. Faça uma lista, uma agendinha de namoro, para vocês cumprirem. Alguns dias você faz o que ele gosta, outros, ele faz o mesmo. Mas vá com calma, né? Não existe nada mais chato do que você namorar alguém e a pessoa ficar te cutucando em cada coisa que você falar. Parece que rola uma vergonha e, com isto, a relação acaba estragando.

Se você gosta mesmo dele, dê um tempo para ele crescer. Aos poucos, as pessoas vão mudando naturalmente. É só começar a ganhar responsabilidade e se envolver com gente diferente. As conversas acabam se tornando maduras, melhores.

E afinal, quem é que nunca namorou um bobão?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
20/10/2009 - 15:25

Gosto de um menino. A minha melhor amiga também. E ele quer as duas. Como faz?

Compartilhe: Twitter

200324949-001

Parece que a adolescência é a época ápice das crises de insegurança e de identidade das garotas. Uma das coisas que mais chegam no meu email são dúvidas relacionadas à garotas que se atraem por meninos, só que suas melhores amigas também acabam gostando dele. Aliás, quem é que nunca ouviu uma história como esta? Quem é que não conhece duas meninas que brigaram por causa de algum garoto? Pois é. Eu conheço. E várias.

O problema da nossa adolescência é exatamente este: insegurança, inveja, constantes crises de identidade. Quando as meninas têm uma melhor amiga, é comum que gostem de compartilhar tudo o que fazem. Compartilham as vontades, conversam, trocam segredos… E aí surgem os garotos. Conforme vocês vão crescendo, a sexualidade nasce, vocês param de achar que os meninos são só um bando de seres idiotas e que fazem brincadeiras sem graças para dar espaço ao desejo, à vontade de beijar, de ficar junto. Claro, o curso da vida é o seguinte: umas crescem mais rápido, outras mais devagar. Com essa evolução tua, é comum que quem ficou para trás por causa do tempo, sinta ciúme. É aí que nasce o interesse mútuo pelo mesmo garoto. As vezes a garota nem gosta realmente de tal menino, ela só fala isso porque, se você gostou – e você é aquela pessoa que compartilha tu-di-nho com ela – ela também tem que gostar. É assim, ponto.

Já nós, meninos, que nunca tivemos muito esse lance de melhores amigos, enquanto vamos crescendo, temos prioridades diferentes. Na verdade, somos forçados à estas coisas diferentes pela sociedade. Com a adolescência chegando, precisamos nos posicionar para nossos amigos. Claro, somos pequenos e não temos muita noção da vida, por isso o ‘precisamos’. Então a gente quer pegar geral. Se percebermos, então, que existem duas meninas (amigas!) dando bola, a gente fica louco. É tudo o que a gente precisa pra encher o peito e passar de garanhão para o resto da escola. Então, é claro, a gente investe. Detalhe: a culpa não é nossa, não. A gente não é sacana e idiota por isso. Quando estamos crescendo, esse posicionamento perante aos que nos cercam é necessária, é a nossa única preocupação na vida, então a gente quer fazer o melhor possível. Não estamos, de fato, nem aí para os outros e o que importa é o que a gente pensa, o que a gente passa. Por isso, é claro, a gente quer as duas. E isso permanece por muito tempo, viu? Até os 18, 19 anos, a gente ainda pensa dessa forma, não valorizamos as mulheres e as usamos só para números. É coisa da cabeça, da criação, da sociedade.

Ok, depois de toda essa aula de psicologia fajuta, vamos ao que interessa: e se isso tudo acontece com você? Bom, não tem muito que fazer, né? Ou é o garoto, ou é a amiga. Daí vai de você. Eu acredito que, se o menino quiser as duas, você deve dar preferência à amiga. Isso porque você é jovem, o garoto também e, muito provavelmente, ele só vai querer curtição. Se você procura algo sério, espere para ficar com alguém que também queira algo assim. E só com você. O problema de escolher a amiga é a decepção que pode surgir. Se ela não for tão legal como você, ela pode acabar escolhendo o menino. Daí, quem se dá mal, é você.

Porque não conversa? Se você e sua amiga combinarem algo, talvez vocês se resolvem sem precisar pensar muito e acabar a relação de vocês com uma possível briga. Não vale a pena, né?

E você, já passou por alguma situação assim, onde sua melhor amiga fica afim do mesmo cara que você? Como você fez para sair desta?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , ,
26/05/2009 - 12:24

Perdi todos os meus amigos por causa do meu namorado

Compartilhe: Twitter

Uma ação muito chata, porém comum, que temos involuntariamente quando começamos namorar é se afastar dos amigos. A idéia de se ter alguém do lado o tempo todo cria em nossa cabeça uma ilusão de que só precisamos de tal pessoa para viver e, por isso, todos os nossos amigos se tornam peças secundárias em nossa vida. Pois bem, na primeira crise é que a gente percebe o enorme erro que cometemos.

Na maioria das vezes, esse conforto de namorar alguém muda totalmente a nossa vida. Antes, se estávamos acostumados a sair com os nossos amigos para as baladas da vida, cinemas e outros tipos de programas, a partir da hora que entramos em uma relação a dois, esquecemos de tudo isso. Um: o namoro pede uma disponibilidade maior da pessoa para que vocês possam se encontrar. Dois: você já não vê mais tanta graça em sair com os seus amigos porque, simplesmente, sair com o seu namorado é bem mais gostoso. E você tem toda a razão.

Quando você entra em um namoro, o ideal é você saber dividir o seu tempo em várias partes: primeiro, pense na sua escola. Nada de cabular aulas para ficar perdendo tempo com o seu garoto. Educação é prioridade, você terá muitas horas vagas para ficar juntinho. Depois, caso você já trabalhe ou faça algum curso, a mesma coisa: não falte para namorar. Isso tudo são coisas secundárias, pense na sua vida primeiro. Agora, o mais importante: obviamente, se possível, reserve o seu final de semana para ficar junto de seu namorado. Lembre-se que você deve tentar conciliar a sua família com o seu menino. De dias de semana, além de ver os seus amigos na escola, também tente marcar algo com eles. Se quiser, é óbvio que você pode chamar o seu namorado para sair junto. O legal é tentar unir as duas vidas, mas nunca deixar uma delas de lado.

E se ele não gosta das minhas amigas?

Outro grande problema de qualquer relacionamento é que, muitas vezes, o seu namorado não vai se dar muito bem com as suas amigas. E amigos, principalmente amigos. Claro, isso é natural de muitos namoros e você não deve se preocupar. E nem forçar, é claro. Se ele não gosta de algum amigo seu, ele tem todo o direito de querer ficar longe dessa pessoa. O que ele não pode fazer, no entanto, é pedir para que você também se afaste de tal pessoa. Cada um teve uma vida diferente antes de vocês ficarem juntos e, é claro, esse tempo não deve ser esquecido e perdido. Você deve, o tempo todo, tentar se manter o mais fiél possível ao seu jeito de ser, à sua essência.

E você, já passou por algo parecido? Já namorou alguém que não gostava de sair com os seus amigos? Conte-nos o que você fez!

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , ,
19/05/2009 - 12:28

E se o meu namorado for gay?

Compartilhe: Twitter

“Caio, eu ando desconfiada de uma coisa muito chata. Acho que o meu namorado é gay. Olha só: ele é um menino muito gentil, o conheci no colegial e tal. O problema dele é que assim, ele nunca comenta sobre meninas. Mas quando vê um menino passar, ele começa a falar da roupa, do sapato, do cabelo dele e eu tenho que concordar. Antes eu achava que era só uma impressão minha, ou até muita insegurança dele, mas daí as minhas amigas começaram a falar que ele era gay também. Na escola, todos os amigos dele zoam ele porque ele não gosta de jogar futebol e fica conversando com as meninas. Aliás, as minhas amigas são mais amigas dele do que minhas. Não sei o que eu faço. Ele é gay mesmo?”

Juliana*, 16 anos.

Juliana, isso é uma tremenda de uma situação chata. Namorar alguém já é difícil, imagino namorar alguém que ‘não goste da fruta’. Além de isso fazer muito mal para a pessoa, por causa da indecisão, dúvidas em relação à sexualidade, necessidade de afirmação sexual perante os amigos, para você o problema pode ser mais chato ainda. Imagino que na sua cabeça a primeira coisa que surge é: será que ele é assim por culpa minha? Errei?

Olha só, antes de tudo, não tire conclusões precipitadas do seu menino. Lembre-se que cada pessoa é de um tipo, possui uma educação e um estilo de vida. Os garotos nem sempre são aqueles brutamontes que você está acostumada a ver. Existem sim meninos que não gostam de jogar futebol, que conversam com outras garotas com facilidade e que se interessam por moda, por cabelo e por coisas que são, até então, típicas do sexo feminino. Porém, também não dá para viver desconfiada, né? Se você entrar nessa, vai acabar melando todo o lance de vocês e, às vezes, a culpa nem é dele. Vai ser sua mesmo, por desconfiar de algo tão sério assim sobre o menino.

Antes de acusá-lo de algo, você terá que testá-lo. Claro, não vá jogar o seu menino no braço de outro. Ah, e vale lembrar também que isso não é uma das coisas mais honestas a se fazer, não. Então é o seguinte: se o seu namorado for gay, o primeiro sinal para provar a sua teoria será a identificação do ciúme da sua relação. Ele é uma pessoa ciumenta? Se não, isso pode ser um sinal. O que você tem a fazer é se jogar nas mãos do melhor amigo dele. Melhor amigo que, no caso, ele supostamente teria um interesse amoroso. Se o garoto ficar mais com ciúme do menino do que você… Bom, nem preciso dizer nada, né?

Outra coisa que você deve prestar muito atenção é nos trejeitos do seu namorado. Repare nas atitudes dele, nos gostos, nos comentários. Um gay, por mais que queira esconder, geralmente deixa escapar alguma coisinha que o entrega. Basta você ser esperta.

Ah, e se você pegá-lo no flagra com algum outro menino, não perdoe, não. Por mais que ele vá dizer que foi só uma curiosidade, uma vontade, é difícil de acreditar nisso. Mesmo que você goste muito dele, no futuro, é muito provável que ele cometa a traição novamente. Afinal, não dá para viver com roxo se você gosta de amarelo, certo?

Tá, ele é. E agora? Por que comigo?

Se você conseguir algo que te dê certeza em relação à sexualidade do seu namorado, não tem muita coisa para se fazer. Termine a relação de forma amigável e, com isso, você ainda poderá ganhar um grande amigo para o futuro. Lembre-se que a culpa de isso acontecer não é do menino, não. Afinal das contas, não foi ele quem escolheu ser homossexual. As pessoas nascem assim, não é, tipo, escolher a roupa: hoje eu gosto de meninos e amanhã de meninas. Além do mais, se o garota está passando por aquela fase chata de descoberta, ele deve estar cheio de coisas na cabeça, confuso, com medo do que está por vir. Claro, você não tem nada a ver com isso e é totalmente errado o menino te iludir. Mas fazer o quê, né? Agora já foi…

E minhas amigas, o que vão pensar de mim?

Primeiro, coloque em sua cabeça que a culpa de ele ser gay não é sua. Não foi você que o transformou em homossexual. Não é porque você não beija bem que ele procurou meninos. Aceitando isso e descobrindo que você é boa o bastante para ter outro garoto, você deve jogar a real para as suas amigas. Claro, elas podem fazer brincadeiras e tirar sarro de você com frequência, mas e daí? A vida é sua, você passou por uma situação chata e está lidando com ela. As meninas que são amigas de verdade ficarão do seu lado. As outras, não.

Ai, acho que eu também sou…

Então aproveite a sua adolescência e a liberdade que temos hoje para se descobrir. O ideal é conseguir ficar de bem com você mesma =)

Ah! Mas vem cá… Antes de qualquer coisa, por que não conversar? Sempre afirmei aqui que um bate-papo resolve qualquer guerra. Basta ser sincera, mostrar as suas dúvidas, sua insegurança, perguntar, jogar a real. Com certeza, você já conseguirá algo com isso e pode até fortalecer o seu relacionamento. Lembre-se: joguinho não é a melhor coisa a ser feita em uma relação. Atitudes assim são oito ou oitenta: ou resolve, ou estraga tudo de vez.

Você já passou por uma situação dessas? Conte a sua história aí!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , ,
31/03/2009 - 14:48

Os amigos, o futebol e o videogame. E eu?

Compartilhe: Twitter

Toda menina, pelo menos uma vez na vida, passa por essa crise. Quando se apaixona por um garoto, é batata: ele vai dar mais atenção para os amigos do que para ela. Sabe aquela coisa de que entre o futebol e uns beijinhos, ele prefere a pelada (no caso, a que não é você)?

Talvez a psicologia pudesse explicar que, na adolescência, os meninos não dão muito valor para as garotas, só querem saber de diversão. Seria nesse quesito que as meninas entrariam, na diversão, na competição de ver quem fica mais com quem, na vontade de ganhar status. Na guilhotina, se salva o futebol. O que importa é: a gente gosta de ser moleque!

Sabe quando a sua mãe diz que você não tem que gastar a sua adolescência namorando, mas sim curtindo a vida? Pois bem, lá no fundo da gente, é o que gostamos e queremos. Apesar de curtirmos muito o fato de ter alguém para namorar, parece que, por trás, sempre rola aquela vontade louca de jogar bola, zoar com os amigos, se prender no quarto e se acabar em Tibia, Guitar Hero, God of War.

Não, isso não significa o homem prefere o videogame à mulher e que, muito provavelmente, isso é um sinal de homossexualidade. É só uma questão de prioridade para aquele momento da nossa vida, uma grande falta de maturidade. Acredite, não é algo que fazemos com consciência. A diversão é atraente.

E quando você está com ele, com os amigos dele e, mesmo assim, parece que você não existe? Essa é uma das piores sensações que pode acontecer com uma pessoa. Ficar ao lado de alguém, sozinho, é legal. Agora ficar ao lado de alguém que está rodeado de pessoas que você não conhece – ou não gosta, né? As meninas têm um “q” para não curtir os amigos do namorado que só… – é um porre! Parece que o tempo não passa, você nunca sabe o que falar, as pessoas ficam comentando sobre assuntos que você não gosta e, para melhorar tudo, o seu namorado finge que você não existe. Além de ele não tentar incluir você na conversa em momento algum, o cara simplesmente esquece que você está ali e faz a linha ‘não-romântico’. Segurar a mão e fazer carinho é luxo. Dar beijo, então, nem pensar.

Pior do que ficar com alguém que não te reconhece é ficar com alguém que te esconde ou que não lembra que você existe quando há mais pessoas para entretê-lo.

O que você pode fazer? Ou botar a cara no mundo e começar a puxar assunto, se meter na conversa e não se importar se vai parecer ou não chata, ou ficar quieta e esperar a hora para conversar com o seu garoto e cobrar certas ações que ele deveria ter tido com você anteriormente. Caso você não tenha coragem de falar isso para ele – e é o que vai acontecer contigo, muito provavelmente – comece evitar situações como esta. Se ele te chama para fazer algo com os amigos e você já sabe que você vai sobrar, recuse o convite e… Invente que irá sair com os SEUS amigos. Principalmente se aquele menino que ele odeia estiver livre para você.

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
24/03/2009 - 13:20

Valorize o seu – não cobice o futuro marido da próxima

Compartilhe: Twitter

Afinal, mais vale um pássaro na mão do que dois voando. Estou certo? É incrível como as pessoas têm um desejo absurdo de querer o que o outro tem. Seja bens materiais, seja manias, seja estilo… Seja namorado! Meninas, que coisa feia. Querer o carinha que sua amiga tá ficando é muito egoísmo da sua parte. Mas é inevitável: as coisas do próximo são sempre melhores. Ou pelo menos parecem ser.

Muitas garotas, na adolescência, tem mania de se apaixonar por um mesmo menino. Ele, todo garanhão, acaba se apaixonando pela sua amiga. E você nessa história? Arranja um menino também, é claro. Ou, sei lá, você já namorava alguém e agora a sua amiga também namora. Sem querer, o namorado dela é tão mais ‘romântico’, mais ‘atencioso’, mais ‘carinhoso’, mais ‘bonitinho’, mais-qualquer-coisa que o seu. Tá aí um grande erro do ser humano: não dar valor para o que tem.

É complicado explicar, mas quando a gente sabe que a pessoa gosta da gente, ela acaba perdendo o charme. Pois é, a gente gosta de viver em um processo de reconquista 24/7, gostamos de um pouco de insegurança e de certas balançadas no relacionamento. Se temos tudo perfeitinho, a pessoa que pedimos à Deus ao nosso lado, deixamos de reconhecer e valorizar. Com isso, o ‘da outra’ se torna a melhor coisa do mundo.

Durante toda a vida, passamos por escolhas. Quando o assunto é romance, nós nunca somos obrigados a ficar ao lado de alguém que não gostamos mais. Se você se interessa por outra pessoa e acha que o que tem para você não é o bastante, caia fora antes de se tornar infeliz. Muitas vezes, a gente acusa demais, mas não percebemos que o erro, na verdade, vive na gente.

Tem um namorado e ele te faz feliz? Isso basta. Muitas pessoas pagariam milhões para ter a sua vida… E você, já passou por algo assim? Comenta aí!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , ,
Voltar ao topo