iG

Publicidade

Publicidade

15/07/2008 - 13:39

Beijo na boca não é coisa do passado e não há moda nenhuma que mude isso

Compartilhe: Twitter

Esse blog poderia virar um daqueles programas de ajuda que fazem o maior sucesso na televisão brasileira. Aqueles que passam de tarde, onde todo mundo senta e discute a vida alheia. Pois é, não estou reclamando de nada, mas é engraçado como as minhas amigas me situaram na imagem de um ‘amigo pseudo-psicólogo’ por causa do iBoy. Enfim, uma conhecida ficou com um menino que beijava mal. Mas, nas palavras dela, “ele parecia um cachorro bebendo água enquanto me beijava”.  Agora ela está evitando o moço, mas as aulas irão voltar e, como os dois estudam juntos, na mesma escola, na mesma sala, ela não quer deixar a situação ficar estranha.

Ok, primeiro de tudo: não saia por aí dizendo que o garoto beija mal. Eu tenho a concepção de que beijo vai do gosto do freguês, você pode ter odiado, mas a sua melhor amiga pode amar. Então, se isso acontecer com você, guarde a sua opinião. Agora, coloque na cabeça que todo beijo é adaptável. Um dos meus primeiros e melhores beijos da vida foi horrível, eu sai com a boca toda molhada e desesperado de medo da garota. No segundo, eu pedi – sutilmente – para ela tentar acompanhar os meus movimentos. No terceiro, acabou rendendo uma ótima coleção de beijos. Então é o seguinte, se o garoto vale a pena, tenta ir mudando o beijo dele para ficar da forma que você gosta. Se ele for casca grossa, então é melhor não se envolver muito, porque beijo ruim não dá, né?

Um beijo, querido. No sentido figurado, é claro

Se você decidiu logo de primeira que não tem jeito, mas não quer ser dura e acabar com o garoto dizendo que ele beija mal (acredite, dizer isso cara a cara para uma pessoa é maldade), há várias formas de você dar o fora nele.

A mais fácil é dizer que você só queria uma curtição. Que foi só uma “ficada” e, por isso, acabava ali mesmo,  sem nenhuma forma de comprometimento. De vez em quando, isso pode ser meio difícil de fazer, ainda mais se o garoto for alguém que vive constantemente ao seu lado. Depois o clima sempre fica meio chato, né? Mas pensa bem: melhor dar uma sacudida na amizade do que iludir o moço. A distância que será criada entre vocês pode ser resolvida com o tempo…

Mas vai que foi amor a primeira vista para o garoto? Provavelmente, você ganhará um grande chiclete em seus pés. O lance é não dar bola e cortar qualquer intenção de afeto (amoroso, claro) com o menino. Como todo ser humano, ele também tem sentimentos.

É assim, oh…

Como você não é uma professora de beijos (e eu também não), resolvi fazer uma listinha de dicas de como você pode, sem deixar a fofura de lado, dar alguns toques no garoto:

Velocidade
– não deixe, de forma alguma, que ele determine a velocidade do beijo, sempre tente manter um meio termo da sua maneira e da dele;
Mau hálito – dê  uma bala antes de beijá-lo, se isso se tornar freqüente, o cara vai se tocar que tem algo errado. Ou até invente algo sobre “você viu o sabor novo desta pasta de dentes (leva uma e dá de presente)? Eu adoro!”;
Lambidas – a língua é fundamental no beijo, mas não é por isso que ela deve ser gasta a troco de nada. Se o garoto não pára quieto com ela, tente conversar sobre movimentos na hora do beijo para vocês “experimentarem”, assim ele pode perceber do que você gosta ou não;
O corpo – tem gente que gosta de lambidinhas na orelha, beijinhos no pescoço e coisa e tal, mas tem gente que odeia. Isso é bem fácil de delimitar: se ele for naquela direção e você não quiser, desvie com um sorriso ;) ;
O fim – para não ficar aquele caminho de baba no final do beijo, sempre sele com um selinho;
O depois – abrace beeem gostoso o menino e diga que foi “o melhor beijo de todos”, ou solte só um “uau”. Para bom entendedor, meia palavra basta.

E você, já beijou alguma pessoa que não mandava nada bem? Comente aí o seu caso!

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , , , ,
Voltar ao topo