Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Situações

08/09/2009 - 14:31

Como ser livre na internet sem magoar o seu namorado

Compartilhe: Twitter

Ai, a internet. Internet é mais difícil que homem machista, mais complicada que namorado mandão, mais terrível que gente ciumenta, mais destruidora que a balada, mais… Bom, a internet não presta. Claro, ela é ótima para várias coisas, como ajudar na pesquisa de trabalhos escolares, ajudar na hora de arrumar um emprego e até na hora de fazer novas amizades através das redes sociais. Mas a internet é má. Ela é muito má. E traiçoeira. E viciante. E, claro, ela termina com as relações amorosas.

Usar e abusar da web enquanto você namora é um grande problema. Isso porque aqui é um lugar onde você não tem limites, não possui uma ‘identidade’ real, não possui rédeas. Em um namoro, a internet, assim como várias outras coisas da vida, deve ser podada. Com certeza, esta vai ser uma das coisas que você vai mais ter dificuldade em fazer. Sabe o por quê?

Porque a internet é o seu porto seguro. Aqui você consegue ser o que você quiser, falar com quem quiser e não se comprometer com nada. E é por que você começou a namorar que você terá que desligar o computador e nunca mais ficar online? Claro que não, né. Há formas de você conciliar as duas coisas em sua vida. Você só vai precisar querer muito – e querer de verdade – isso.

Como se comportar? A melhor coisa a fazer é aprender a se controlar. Primeiramente, veja bem quem você irá adicionar nas redes sociais. Evite meninos que você não conhece para não gerar brigas. Tome cuidado, também, com o que você diz por aí. A internet é pequena, todo mundo conhece todo mundo e ninguém deve confiar em ninguém. Quando você menos esperar, tudo o que você fala pode ser usado contra você. De forma boa ou ruim.

Para não criar casos, use a internet com o máximo de moderação que você conseguir. Evite ‘conhecer novas pessoas’ online. No final, raramente elas agregam alguma coisa em sua vida. O seu namorado, com razão, vai ficar com ciúme de tudo o que você fizer. Se você realmente quer que a relação dê certo, aprenda a deixar essas coisas de lado. Claro, ele também precisa fazer o mesmo, né?

E você? Como é sua relação com a internet?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , ,
23/06/2009 - 12:41

A dúvida, o medo, a insegurança e a certeza do primeiro beijo

Compartilhe: Twitter

Há algum tempo, eu já havia escrito aqui no iBoy um texto sobre o primeiro beijo, falando sobre o timing perfeito, dicas para ele não ser frustrante e algumas definições sobre o beijo. Porém, é notável que muitas meninas ainda sentem aquela insegurança antiga quando percebem que o momento da sua primeira experiência está próxima. Bom, é comum. Afinal, a gente sempre escuta que o primeiro beijo a gente nunca esquece, não é?

Para começar, esqueça esse lance de que você vai levar aquilo para a vida toda. Não é bem assim que as coisas acontecem. O primeiro beijo que vai ficar na sua lembrança é aquele primeiro beijo que você deu no menino que gostava, ou o primeiro beijo do seu namoro. Você vai lembrar a situação que a sua primeira vez, de fato, rolou, mas não vai conseguir guardar detalhes. Muitas pessoas desvalorizam o beijo, eu acredito que ele é mais pessoal do que o sexo. Um beijo de verdade demonstra carinho, afeto, consideração. Ele fala muito de você para a outra pessoa, define como será um possível relacionamento. Se o beijo não encaixa, é muito provável que todo o resto também não se encaixa. Afinal, um namoro começa pelo beijo, né?

Você não precisa “saber” beijar. Isso porque ninguém sabe. Como já disse, o beijo é pessoal, cada um tem o seu jeito, cada um sabe a sua maneira. Basta achar outras pessoas que combinem com esse seu jeito. Vai dar o primeiro beijo? Então a dica é: deixe ser levada. O garoto, provavelmente, vai saber o que fazer com você. Siga-o, acompanhe o ritmo dele, tente copiar o que ele está fazendo. Depois do primeiro choque, você vai poder descobrir o que gosta mais: se é um beijo lento, molhado, seco, rápido, com a mão na nuca, um beijo demorado, um beijo mais rápido… Aí é só começar a se impor, mostrar o que é que você gosta para quem você for beijar. Parece até simples, não é? Sim! Porque beijar não tem segredos. A gente meio que já nasce sabendo, rs.

Se o seu primeiro beijo for um desastre, você achar ruim, não se constranja. É normal que as pessoas achem a primeira vez de tudo ruim. O primeiro dia na escola, quando você não conhece ninguém, o primeiro dia no trabalho, que você conhece seu chefe, tudo é relativo.

Para não cometer gafes: vai beijar? Economize no batom (fica uma lambaceira só). Tome um drops, para não ficar encucada com o hálito. Não passe nenhum tipo de creme no rosto, a língua pode bater ali e deixar um gosto azedo na boca dele. Feche os olhos. Não sufoque ele com a sua língua. Pronto. Agora, o resto, é com você.

Item curioso: você sabe de onde veio o beijo? Pois bem, há muito tempo, lá em Roma, essa atitude não era um sinal de carinho, um jeito de chegar nas pessoas e começar uma relação, não. O beijo era uma forma de os homens controlarem o consumo de vinho das suas mulheres. Pois é, para ver se elas estavam com bafo, eles davam o nosso tradicional beijo, ou seja, lábios encostados, linguas entrosadas. Viu só? Pense que você vai tomar um vinho e dê um beijo!

E você, quer contar pra gente como foi o seu primeiro beijo? A gente super tá querendo saber!

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , , , , ,
16/06/2009 - 11:51

A melhor forma de dar – e receber – carinho em um namoro

Compartilhe: Twitter

Especial Namoro Carinho. 1 – afago, carícia. 2 – meiguice. 3 – cuidado. Carinho é algo que todo mundo quer, mas ninguém sabe dar. Carinho para dormir, carinho no olhar, carinho com as palavras, carinho com a forma de demonstrar o amor, carinho na gratidão, carinho em datas especiais, carinho no sexo, carinho. Namorar e saber ser carinhoso é algo bem difícil e, para piorar, muitas pessoas confundem essa ‘ação’ com carícia. Se seguirmos no sentido denotativo da palavra, o dicionário pode acabar enganando. Carícia. 1 – demonstração de afeto; afago, carinho, meiguice. Não, está errado. Eu não acho que são sinônimos. Em um namoro, o melhor a se fazer é dar carinho. As carícias sempre surgem, mas elas, geralmente, acabam levando os dois para o lado sexual. O carinho leva os dois para o amor.

“Acho que carinho pode ser definido como uma coisa mais completa, que inclui não só o toque físico, mas atenção também. E carícia me parece mais físico, só”, diz Lili*, de 22 anos. Como o namoro é o tempo de descoberta, conhecimento, inovação e mudanças, o carinho é um dos pontos mais importantes da relação: é ele que vai definir se vocês vão ou não ficar juntos para sempre. Afinal, ninguém aguenta viver ao lado de outrem sem se sentir querido, importante, especial. No início, é comum que os pombinhos se apelidem, troquem muitos presentes, frequentem, juntos, os lugares queridos por um dos dois. Com o tempo, costuma-se dizer que a relação ‘esfria’. Na verdade, esta é a hora que evidencia que o carinho está indo embora.

Dar carinho não é só andar de mãos dadas ou lotar o outro de presente fora de ocasiões especiais. Apesar de isso ser muito bom, o ser humano precisa de mais. Movimentos simples, como adicionar um carinho enquanto andam de mãos dadas, pode mudar toda a ação. Fazer carinho na hora do beijo também é importante, é uma forma de você mostrar que está gostando daquilo e não quer que pare. O beijo, aliás, é uma das formas que mais demonstra o carinho do outro: um selinho quando se chega, um beijo inesperado, um beijo mais quente no cinema, um carinho extra, beijos incontáveis…

Além dessas ações de carinho, também é necessária aquela atenção especial para com quem se ama. Se preocupar, mostrar-se interessado nas conversas, discutir o relacionamento dos dois sempre que possível, de forma clara, objetiva, e sincera, ajudar na hora que surgem os problemas, ouvir, surpreender, dizer “eu te amo”, ser compreensível, aceitar mudanças, propostas de vida, imaginar um futuro à dois. São todas essas coisas que definem e prolongam uma relação.

Manter essa preocupação com o carinho acesa mesmo depois de anos de namoro é algo que muita gente não consegue. Aliás, a maioria das pessoas é boa em pedir carinho, mas nunca dá. Ou acha que dá, mas não é o suficiente. Carinho vai de cada um, basta você saber como agradar o outro. Ah! Não vale também fazer esperando receber. Isso tem que vir de dentro, do coração, e ser o mais sincero possível. A vida não funciona por trocas…

E você, como acha que é a melhor forma de dar carinho para o(a) seu(ua) namorado(a)?

* Nome alterado.

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , ,
26/05/2009 - 12:24

Perdi todos os meus amigos por causa do meu namorado

Compartilhe: Twitter

Uma ação muito chata, porém comum, que temos involuntariamente quando começamos namorar é se afastar dos amigos. A idéia de se ter alguém do lado o tempo todo cria em nossa cabeça uma ilusão de que só precisamos de tal pessoa para viver e, por isso, todos os nossos amigos se tornam peças secundárias em nossa vida. Pois bem, na primeira crise é que a gente percebe o enorme erro que cometemos.

Na maioria das vezes, esse conforto de namorar alguém muda totalmente a nossa vida. Antes, se estávamos acostumados a sair com os nossos amigos para as baladas da vida, cinemas e outros tipos de programas, a partir da hora que entramos em uma relação a dois, esquecemos de tudo isso. Um: o namoro pede uma disponibilidade maior da pessoa para que vocês possam se encontrar. Dois: você já não vê mais tanta graça em sair com os seus amigos porque, simplesmente, sair com o seu namorado é bem mais gostoso. E você tem toda a razão.

Quando você entra em um namoro, o ideal é você saber dividir o seu tempo em várias partes: primeiro, pense na sua escola. Nada de cabular aulas para ficar perdendo tempo com o seu garoto. Educação é prioridade, você terá muitas horas vagas para ficar juntinho. Depois, caso você já trabalhe ou faça algum curso, a mesma coisa: não falte para namorar. Isso tudo são coisas secundárias, pense na sua vida primeiro. Agora, o mais importante: obviamente, se possível, reserve o seu final de semana para ficar junto de seu namorado. Lembre-se que você deve tentar conciliar a sua família com o seu menino. De dias de semana, além de ver os seus amigos na escola, também tente marcar algo com eles. Se quiser, é óbvio que você pode chamar o seu namorado para sair junto. O legal é tentar unir as duas vidas, mas nunca deixar uma delas de lado.

E se ele não gosta das minhas amigas?

Outro grande problema de qualquer relacionamento é que, muitas vezes, o seu namorado não vai se dar muito bem com as suas amigas. E amigos, principalmente amigos. Claro, isso é natural de muitos namoros e você não deve se preocupar. E nem forçar, é claro. Se ele não gosta de algum amigo seu, ele tem todo o direito de querer ficar longe dessa pessoa. O que ele não pode fazer, no entanto, é pedir para que você também se afaste de tal pessoa. Cada um teve uma vida diferente antes de vocês ficarem juntos e, é claro, esse tempo não deve ser esquecido e perdido. Você deve, o tempo todo, tentar se manter o mais fiél possível ao seu jeito de ser, à sua essência.

E você, já passou por algo parecido? Já namorou alguém que não gostava de sair com os seus amigos? Conte-nos o que você fez!

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , ,
19/05/2009 - 12:28

E se o meu namorado for gay?

Compartilhe: Twitter

“Caio, eu ando desconfiada de uma coisa muito chata. Acho que o meu namorado é gay. Olha só: ele é um menino muito gentil, o conheci no colegial e tal. O problema dele é que assim, ele nunca comenta sobre meninas. Mas quando vê um menino passar, ele começa a falar da roupa, do sapato, do cabelo dele e eu tenho que concordar. Antes eu achava que era só uma impressão minha, ou até muita insegurança dele, mas daí as minhas amigas começaram a falar que ele era gay também. Na escola, todos os amigos dele zoam ele porque ele não gosta de jogar futebol e fica conversando com as meninas. Aliás, as minhas amigas são mais amigas dele do que minhas. Não sei o que eu faço. Ele é gay mesmo?”

Juliana*, 16 anos.

Juliana, isso é uma tremenda de uma situação chata. Namorar alguém já é difícil, imagino namorar alguém que ‘não goste da fruta’. Além de isso fazer muito mal para a pessoa, por causa da indecisão, dúvidas em relação à sexualidade, necessidade de afirmação sexual perante os amigos, para você o problema pode ser mais chato ainda. Imagino que na sua cabeça a primeira coisa que surge é: será que ele é assim por culpa minha? Errei?

Olha só, antes de tudo, não tire conclusões precipitadas do seu menino. Lembre-se que cada pessoa é de um tipo, possui uma educação e um estilo de vida. Os garotos nem sempre são aqueles brutamontes que você está acostumada a ver. Existem sim meninos que não gostam de jogar futebol, que conversam com outras garotas com facilidade e que se interessam por moda, por cabelo e por coisas que são, até então, típicas do sexo feminino. Porém, também não dá para viver desconfiada, né? Se você entrar nessa, vai acabar melando todo o lance de vocês e, às vezes, a culpa nem é dele. Vai ser sua mesmo, por desconfiar de algo tão sério assim sobre o menino.

Antes de acusá-lo de algo, você terá que testá-lo. Claro, não vá jogar o seu menino no braço de outro. Ah, e vale lembrar também que isso não é uma das coisas mais honestas a se fazer, não. Então é o seguinte: se o seu namorado for gay, o primeiro sinal para provar a sua teoria será a identificação do ciúme da sua relação. Ele é uma pessoa ciumenta? Se não, isso pode ser um sinal. O que você tem a fazer é se jogar nas mãos do melhor amigo dele. Melhor amigo que, no caso, ele supostamente teria um interesse amoroso. Se o garoto ficar mais com ciúme do menino do que você… Bom, nem preciso dizer nada, né?

Outra coisa que você deve prestar muito atenção é nos trejeitos do seu namorado. Repare nas atitudes dele, nos gostos, nos comentários. Um gay, por mais que queira esconder, geralmente deixa escapar alguma coisinha que o entrega. Basta você ser esperta.

Ah, e se você pegá-lo no flagra com algum outro menino, não perdoe, não. Por mais que ele vá dizer que foi só uma curiosidade, uma vontade, é difícil de acreditar nisso. Mesmo que você goste muito dele, no futuro, é muito provável que ele cometa a traição novamente. Afinal, não dá para viver com roxo se você gosta de amarelo, certo?

Tá, ele é. E agora? Por que comigo?

Se você conseguir algo que te dê certeza em relação à sexualidade do seu namorado, não tem muita coisa para se fazer. Termine a relação de forma amigável e, com isso, você ainda poderá ganhar um grande amigo para o futuro. Lembre-se que a culpa de isso acontecer não é do menino, não. Afinal das contas, não foi ele quem escolheu ser homossexual. As pessoas nascem assim, não é, tipo, escolher a roupa: hoje eu gosto de meninos e amanhã de meninas. Além do mais, se o garota está passando por aquela fase chata de descoberta, ele deve estar cheio de coisas na cabeça, confuso, com medo do que está por vir. Claro, você não tem nada a ver com isso e é totalmente errado o menino te iludir. Mas fazer o quê, né? Agora já foi…

E minhas amigas, o que vão pensar de mim?

Primeiro, coloque em sua cabeça que a culpa de ele ser gay não é sua. Não foi você que o transformou em homossexual. Não é porque você não beija bem que ele procurou meninos. Aceitando isso e descobrindo que você é boa o bastante para ter outro garoto, você deve jogar a real para as suas amigas. Claro, elas podem fazer brincadeiras e tirar sarro de você com frequência, mas e daí? A vida é sua, você passou por uma situação chata e está lidando com ela. As meninas que são amigas de verdade ficarão do seu lado. As outras, não.

Ai, acho que eu também sou…

Então aproveite a sua adolescência e a liberdade que temos hoje para se descobrir. O ideal é conseguir ficar de bem com você mesma =)

Ah! Mas vem cá… Antes de qualquer coisa, por que não conversar? Sempre afirmei aqui que um bate-papo resolve qualquer guerra. Basta ser sincera, mostrar as suas dúvidas, sua insegurança, perguntar, jogar a real. Com certeza, você já conseguirá algo com isso e pode até fortalecer o seu relacionamento. Lembre-se: joguinho não é a melhor coisa a ser feita em uma relação. Atitudes assim são oito ou oitenta: ou resolve, ou estraga tudo de vez.

Você já passou por uma situação dessas? Conte a sua história aí!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , ,
06/05/2009 - 11:10

Como lidar com um namoro que não tem futuro

Compartilhe: Twitter

Na última segunda-feira, 04, uma revista norte-americana afirmou que a atriz e cantora Vanessa Hudgens teria dito ao seu namorado, Zac Efron, que gostaria de sair com outras pessoas. O motivo para tal declaração é que a moça ficou bastante chateada com uma entrevista que Zac deu onde afirmou que não pretende se casar antes dos 40 anos. A revista ainda afirmou que Vanessa esperava ficar noiva em, no máximo, dois anos. Claro que a gente não pode acreditar nessa situação, afinal, celebridades são cercadas de rumores. Mas e quando uma desilusão assim acontece na vida real? E quando você não vê futuro no seu namoro por causa de alguma coisa que o seu namorado fez? Qual é a melhor forma de agir?

Pois bem, o caso de Vanessa e Zac é muito peculiar, já que ambos são celebridades e vivem uma vida particular mais do que exposta. No nosso caso, meros mortais anônimos, as situações são bem diferentes. Antes de tudo, vale lembrar que Vanessa está com 21 anos e Zac com apenas 20. O moço, que começou a carreira agora, tem mais é que se focar na vida profissional, mesmo. Hoje em dia, é bem difícil encontrar pessoas que se casam antes dos 30. E sabe por quê? De certa forma, aprendemos a aproveitar um pouco mais a vida antes de se enrolar somente com uma pessoa. Hoje é bem raro encontrar aquela menina que ainda deseja casar virgem, ou encontrar pais que escolhem os noivos das garotas. Com essa ‘liberdade’ que as pessoas ganharam, elas começaram a testar melhor as opções para, por fim, encontrar a pessoa certa.

Claro, é comum que as garotas esperem que o menino faça um pedido o mais rápido possível. Vamos adaptar para o pedido de namoro – na nossa idade, é bem mais fácil rolar isso do que um pedido de casamento, né? O lance é até meio clichê: uma garota fica com um cara, que beija, beija, beija, mas nunca dá o “próximo passo” para a relação. Aí depende muito da forma como você encara a vida. Se você acredita que ficar com alguém durante um tempo, sem se envolver com outras pessoas, já é um namoro, então você está pronta para gritar para o mundo todo ouvir que você está namorando. Agora, se você é daquelas que precisam de um pedido oficial, com todas as letras, para assumir que namora, então vai ter que dar algumas indiretas para o menino. Muitas vezes nós não damos tanta importância para esses detalhes de uma relação e deixamos passar, magoando a menina sem perceber. Ou isso tudo pode acontecer por vergonha, mesmo. Varia…

O problema é quando você não vê um futuro para os dois, saca? A relação ficou morna, vocês não têm mais vontade de se encontrarem, você já ficou sabendo que o menino sente falta de sair com outras garotas e, para piorar, ele não dá nem sinal de que quer um namoro oficializado contigo. Para relações sem futuro, eu sugiro o fim. Afinal das contas, de que vale se esforçar e se sacrificar para ficar com alguém se, no fundo, você sabe que vai morrer na praia?

Quanto à Vanessa e ao Zac, o moço ficou, é claro, chateado. Disse que não concorda com a sua namorada sair com várias pessoas e afirmou que ainda se sente muito jovem para um compromisso mais sério. Agora, vem cá, com tanta especulação sobre a sexualidade do garoto, imagina se ele ainda ganha o fardo de corno? Haja terapia!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , , ,
28/04/2009 - 13:43

Manual dos garotos: você precisa saber isso para nos entender

Compartilhe: Twitter

Por que a gente gosta tanto de sexo? Por que fazemos xixi na privada toda? Por que a gente é insensível? Por que não nos declaramos? Por que coçamos tanto ‘lá’? Por que a Priscila do BBB 9 é gostosa e a sua namorada, que tem tamanha comissão traseira, não é? Por que traímos? Por que não nos interessamos por roupas? Por que adoramos futebol? Por quê? Por quê? Por quê?

Meninas, vocês querem saber tudo sobre a gente. Nós, obviamente, gostaríamos de saber tudo sobre vocês também. Então comentem com as suas esquisitices aí! Mas como não sei explicá-las, vou tentar fazer vocês entenderem algumas coisas que acontecem com a gente. Como, por exemplo, você sabia que a gente não escolhe a hora de ficar excitado?

Pois é, então somos tarados de plantão. Não importa onde, nem o estímulo que temos, nem se passou a mulher mais feia do mundo em nossa frente. Se há alguma coisa em nosso corpo que não controlamos é a nossa ereção. Se nos lidamos bem com isso? Claro que não. Afinal, ninguém merece estar dentro do ônibus, com uma calça de moletom, e ver aquela coisa crescer sem motivo algum. O que rola é: a gente não escolhe a hora de ficar excitado. Da mesma forma que vocês não escolhem a hora de se apaixonar (e nós também não, é claro). Os meninos, na adolescência, ficam excitados o tempo todo. Seja na aula, seja na rua, seja no meio do futebol. Não é necessário um grande estímulo, como uma mulher maravilhosa passar na sua frente e dar uma rebolada, para a coisa acontecer. É assim, quando a gente menos espera, a coisa sobe. Daí, as meninas que reparam nessas coisas acham que somos uns belos de uns tarados. Mentira. Poxa! Quem dera saber mandar baixar guarda…

Por exemplo, na maioria dos dias, a gente acorda com a coisa ali, pra cima, mesmo depois de uma noite tranquila de sono. Vocês sabem o porquê? É fácil: ou tivemos uma noite com um sonho erótico, ou estamos com muita vontade de fazer xixi. O problema é que isso acontece quase todos os dias e, por isso, acabamos sujando o vaso todo. Ou você acha que é fácil fazer xixi de pé, com sono e com o negócio pronto para o ataque?

Ah! E ainda tem a clássica questão do coçar. A gente não vive com a mão lá porque estamos nos estimulando, não. A coisa coça, e isso nem é uma questão de higiene. Ou é, vai saber? Problema é que, dependendo da posição, o pênis incomoda. Daí tem que ajeitar, né? Colocar ele mais para o ladinho, arrumar a posição e tals. Outro ponto é que, quando os pêlos da região estão nascendo, eles coçam! Sim, eles raspam na nossa coxa e incomodam, incomodam, incomodam. Se não for por isso, bom… Prefiro não comentar.

Olha só, e a gente se masturba mais do que vocês mesmo, viu? Deve existir alguma explicação biológica para isso, mas eu só sei que é verdade. A gente tem mais vontade de fazer sexo, a gente ‘pensa muito naquilo’ mesmo e nossa masturbação é mais fácil que a de vocês (acredito eu). A ação pode rolar quando vemos algo que nos excite, como uma foto, um vídeo, ou com a força da mente, mesmo. Muitas vezes, quando estamos no ócio, a primeira coisa que vem em nossa mente é aproveitar o tempo para relaxar. Daí já era…

E não, não somos um bando de tarados insensíveis que só pensa em sexo. Nós também temos sentimento, mas, devido à sociedade em que vivemos, que nos cobra uma grande exposição de masculinidade o tempo todo, preferimos esconder nossas sensações para nós mesmos e comentar sobre os nossos casos de uma forma mais ‘macho’ de ser. Falamos do sexo, falamos da pessoa, mas nunca falamos do amor. É um defeito, eu sei. Mas somos assim, fazer o que? Para piorar, quando estamos em bando, ficamos mais bobos ainda. A todo o tempo, estamos analisando as meninas, fazendo comentários sem graça e aproveitando o tempo para colocar a conversa em dia – coisas que vocês também fazem, vai. Em grupo, tudo fica mais engraçado, a conversa flui mais e a bobeira cuida da nossa mente. Ali é nosso tempo para se divertir, compartilhar dúvidas – mesmo que de forma infantilóide – e dar um pouco de risada para esquecer da vida.

É claro que você já deve ter percebido, também, que odiamos DR. Como eu já disse lá em cima, não somos bons em expor o que sentimos, logo, não somos bom em discutir o que vivemos. A gente vive e pronto, vamos aproveitando os momentos juntos e tentando evitar brigas. Se elas acontecem, tentamos resolver, sem cair no lenga lenga de conversas longas, demoradas e que cortam o coração. Por fim, o futebol é sagrado simplesmente porque, assim como vocês adoram um shopping, a gente adora um esporte. A gente adora torcer. A gente adora vibrar. A gente adora gritar “GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL” e chorar quando o nosso time perde uma partida.

LEMBRANDO: no texto, generalizo os garotos. Nem todos gostam de futebol, nem todos se masturbam demais, nem todos não expõem os seus sentimentos, nem todos acordam de pênis ereto. Assim como vocês, cada um é diferente do outro e cada um tem uma particularidade. Vai de você descobri-la! ;D

E aí, restou alguma dúvida?

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , , , , ,
21/04/2009 - 08:24

E quando sou eu que não quero namorar?

Compartilhe: Twitter

Muita gente tem o costume de dizer que os meninos são aqueles que não querem namorar. Apesar de ser um fato, o que vemos hoje em dia é uma nova realidade. Muitas meninas estão preferindo ficar a namorar.

Talvez por várias frustrações ou simplesmente por acreditarem nas lorotas da sociedade, as meninas meio que desencanaram de procurar o príncipe encantado. Um novo estilo de vida nasceu há algum tempo, e ele se chama balada. Fica com um aqui, outro acolá. As garotas preferem aproveitar as chances da vida a se amarrar em um só futuro, que é incerto na maioria das vezes. Depois, elas ainda têm coragem de reclamar da gente.

E quando você acha um garoto que quer um relacionamento sério, é certo recusar? Claro, todo mundo tem o direito de aproveitar a vida como lhe convém. Se você acha que está na idade de curtir a vida e não se prender à ninguém, é a sua chance. Afinal, ninguém pode reviver a idade e liberdade que já teve um dia. Quando você achar que é a hora certa de namorar, comece a se focar em garotos que você consegue ver alguma relação. O primeiro passo, aí, é mudar os hábitos. Comece deixando de frequentar lugares onde, obviamente, você não irá achar um namorado.

Se namorar não está nos planos, não se culpe. Atualmente – ainda bem – ninguém mais é obrigada a casar com 12 anos e ser empurrada para o noivo que a família escolher. Aproveite, viva o suficiente e o que desejável. Depois, já que nunca é tarde para amar, sossegue e delicie-se com os carinhos de alguém. E só desse alguém. Se é para namorar com traição, é preferível que se fique sozinha.

E você, prefere namorar ou ficar?

Autor: - Categoria(s): Situações Tags: , , , , ,
07/04/2009 - 11:26

Os dilemas de um namoro

Compartilhe: Twitter


Para que namorar? Ultimamente, muitas pessoas andam me fazendo esta pergunta. Depois que o “ficar” apareceu, parece que os relacionamentos sérios ficaram um pouco de lado. Eu poderia dizer que isto é culpa da modernidade líquida, que deixou de lado o verdadeiro sentido e razão do amor para, na real, fazer a pessoa achar formas de se afirmar cada vez mais na sociedade de qual faz parte. Ou, sei lá, eu poderia afirmar que todo mundo perdeu a necessidade de compartilhar o mais íntimo da sua vida com outro, já que estamos passando por um momento onde o individual é bem quisto. Mas, do fundo do coração, o que eu sinto vontade de dizer é: para ganhar um beijo mais que especial antes de dormir e sentir o braço de quem se gosta em cima de você a noite toda. Para viver…

Para muitos, namoro é sinal de cobrança. Claro que não vou tirar a razão de ninguém, existem ‘n’ formas de se relacionar. Tem gente que preza pela liberdade, tem gente que adora ficar juntinho. Mas o mais importante de se namorar é aprender a ceder.

Não adianta tentar escapar. A partir do momento em que você se enfia em um namoro, você tem que compartilhar a vida e aprender a entender o outro. É o seguinte: namorar não é só companhia gratuita e disponível 24/7, não. A gente tem que dar muito da gente para poder ficar junto, por mais difícil que isso seja.

Esses dias, duas amigas vieram pedir socorro pois o seu namoro estava indo água abaixo. A reclamação de ambas era que “ele não me dá atenção quando preciso”. Ou seja, o que aconteceu é que, no começo, o garoto ficou todo encantado pela menina. Depois de um tempo, ele simplesmente resolveu tratá-la como uma mera amiga. É aí que muita gente erra.

Namorar é se apaixonar a cada dia. Se você pula um dia, o encanto some. O mito cai. Daí não adianta mais nada. Para todos os meninos do mundo que deixam de tratar a sua namorada como ela merece, um aviso: o mundo está lotado de homens. Assim como está lotado de mulher, é claro. Você não vai ficar sozinho se ela terminar com você. Mas dar valor para o que se tem na mão é interessante. Ligar sempre, mandar flores, responder com carinho, dizer que ‘ama’ nas ocasiões certas e de boca cheia… Isso tudo faz a diferença.

Um namoro não é só a companhia, não é só passeios divertidos, não é momento inesquecíveis juntos. Um namoro pede muito mais, pede compreensão, pede carinho, pede declarações, pede, acima de tudo, que a outra parte mostre todos os dias o quanto o outro é importante para ela, como a vida fica mais sem graça se essa pessoa não existisse.

Quando se ama, um dos maiores prazeres da vida é fazer a outra pessoa sorrir e se sentir bem. Se você perdeu essa vontade com o tempo, deixe de se engabelar e enrolar a garota. Tome uma atitude; seja ela pro bem ou pro mal.

E você, o que acha de namorar?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , ,
17/03/2009 - 12:53

Como a internet pode dar fim ao seu namoro?

Compartilhe: Twitter

Quer um jeito bem simples de terminar qualquer relação que você tenha? Abuse da internet. Por mais impessoal e virtual que seja, a web sempre cria impressões erradas e gera discussões em qualquer relacionamento. Há muuuuito tempo atrás (falando de internet, é há muito tempo mesmo!), o Orkut era o maior destruidor de relacionamentos que existia. Qualquer scrap duvidoso era briga na certa. E não adianta, não dá para se explicar. Atualmente, além do Orkut, temos o Twitter, o MySpace, o Facebook, o Fotolog…

A internet é encantadora. Quanto mais a gente gosta dela, mais ela nos consome. Apesar de parecer muito impessoal, por se tratar somente de coisas online, sem o toque real, ela causa ciúmes descontrolado em qualquer pessoa. Afinal, não é muito legal ver, ali, publicamente, um recado de outro menino dizendo que sua namorada é gatinha. Pior ainda é quando ela responde um “obrigado”. Na internet, ninguém precisa ser simpático. Mas lá no fundo de cada um, essa é a real vontade. Por quê?

Ego massageado é algo que todos gostamos, obrigado. Muita gente se expõe na web só para receber elogios de desconhecidos (e até mesmo de conhecidos!) e criar uma rede social virtual maior a cada dia. Fotos ousadas, mostrando partes do corpo, sempre são um atrativo a mais ao seu perfil. Receber um elogio, ser paparicado, mostrar-se querido é uma necessidade humana comum que a web facilitou em muito. Talvez, por isso, ela crie tantas intrigas. Escrevi no Metablog há alguns dias um texto com base em uma entrevista com Danah Boyd, uma das principais especialistas em mídias sociais do mundo. Na entrevista, ela afirma que a internet é atrativa pois, além do fato de criarmos amigos e relações, ela dá status social, que é algo para que somos biologicamente programados. Para Danah, a intenção do usuário ao ingressar em uma rede social é se tornar especial e ser notado no meio da multidão.

Por isso, muitas vezes, acabamos respondendo mensagens carinhosas que recebemos via Orkut ou Twitter. As pessoas, sem querer, esquecem que aquilo pode gerar um atrito em seu relacionamento e, depois, dá desculpas vazias do tipo “mas é pela web! eu nunca vou ver tal pessoa na minha vida” para conseguir se esquivar do problema. Na verdade, queremos esse problema, queremos todos nos sentir especiais em um meio tão vasto, com tanta gente diferente e bonita.

Em um namoro, a internet sempre atrapalha. Não adianta o que você falar, qualquer troca de elogios pode ser ultrajante para quem lê. Afinal, muitas vezes o histórico não é só aquilo que está publico. Ninguém sabe se você fala com aquela pessoa no Messenger, se manda depoimentos escondidos ou se troca mensagens mais particulares com tal. A briga, nestes casos, sempre fica com a sensação de inacabada. Justificar-se é fácil. O difícil é jogar a real.

Quer algumas dicas para poder usufruir das redes sociais sem se meter em encrenca com o namoro? Lá vai!

– Antes de responder qualquer mensagem pública, pense exatamente no que você vai dizer. Tente se colocar no lugar do outro da relação, imagine se fosse você quem estivesse lendo tal coisa. Só com isso, sua resposta já vai ser muito menos “simpática”.

– Evite conversar com pessoas do sexo oposto ou puxar assunto com gente que possa parecer perigosa ao seu namoro.

– Você não precisa ser sociável na web. A internet, apesar de ser uma rede aberta para você fazer o que quiser, é muito, mas muito perigosa.

– Lembre-se sempre que, ao se enfiar em um namoro, você não abre mão somente da liberdade de ficar com outras pessoas. Você abre mão de ter intimidade com outros, de conversas com segundas intenções, de sair com quem entender, de adicionar pessoas sem explicação.

– Não coloque fotos chamativas na rede. Você já namora. Somente ele deve ter acesso a tal ‘informação’.

– Tente deixar o seu parceiro sempre a par do que você faz na rede. Mostre à ele com quem você conversa, o que manda em particular para os outros e, se não achar chato, compartilhe senhas. Apesar de cada um precisar ter intimidade, é sempre bom abrir coisas ‘não necessárias’ ao outro. Dá confiança ;D

– Você não é a única pessoa inteligente da relação. Não tente engabelar seu parceiro com explicações xucras para as suas ações na web.

– Seu parceiro fez algo que te intrigou? Pergunte à ele. Se você faz igual, você vai ter que abaixar a cabeça e aceitar a justificativa de “você fez igual!”.

– Viva o real! Compartilhe o virtual.

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, Situações Tags: , , , , , ,
Voltar ao topo