Publicidade

Publicidade

Arquivo da Categoria Posts antigos

17/06/2008 - 09:53

Um é bom, dois é bom e três é demais

Compartilhe: Twitter

Já se tornou até clichê afirmar que um dos maiores sonhos eróticos dos garotos é fazer um ménage à trois. Ou sexo a três. Depois de um bom tempo de relacionamento, é normal que o casal caia em uma espécie de monotonia sexual. Daí, só para apimentar um pouquinho a relação, o moço acaba sugerindo que se convide outra pessoa para fazer parte das relações sexuais entre vocês. Só uma vez. De preferência mulher, é claro. E você, o que deve fazer?

Antes de tudo, você tem que analisar se o relacionamento de vocês é forte o suficiente para deixar que algum estranho entre no meio dos dois. Fazer parte de uma relação a três pode ser legal e excitante, mas você tem que ter certeza de que aquela pessoa não irá influenciar no andar da sua relação. A preparação tem de ser muito boa, afinal, tem o “antes”, o “durante” e o “depois”.

Antes
Se o sexo a três é uma possibilidade e você acha que pode encarar, converse bastante com o seu parceiro para tentar delimitar o que poderão ou não fazer. Primeiro você tem que ver o que ele quer, quais são os desejos e refletir se está pronta. Se sim, combine se irá rolar beijos, sexo oral, o que você vai ter que fazer e todas essas coisas. Assim, na hora que a coisa acontecer, você não vai ficar encucada com possibilidades e ter um ataque de ciúmes. Além de tudo, sempre é bom perguntar, só para gerar uma confiança extra, se depois de tudo o relacionamento vai ficar focado só nos dois.

Durante
A coisa começou. Vocês três estão ali, na cama e seu namorado já está explodindo de tanto tesão. Daí você se arrepende. Olha, agora não é mais a hora. Claro que você pode voltar atrás sempre, mas o clima pode ficar meio chato. Se já chegou até ali, tenta deixar fluir. Participe, brinque, agarre seu namorado, deixe a garota fazer o que tem que fazer. Se alguma coisa acontecer e você realmente não gostar, dá um toque, mande parar. É seu direito. Lembre-se que os protagonistas ali são vocês dois. Ela é só um alguém que está dando uma movimentada curta nas relações sexuais.

Depois
Pronto, acabou. Olha só, a coisa não é bem assim. O pós ménage pode ser a parte mais chata de toda a história. Com toda a certeza do mundo você vai ficar lembrando dos momentos que seu namorado teve com a outra garota e vai surgir um ciuminho bobo, sempre. O problema agora é você saber lidar com isso, a coisa toda já aconteceu e o pior já passou. De novo, converse com o seu namorado e pode cair na carência com ele. Peça atenção, faça-o prometer que não vai te trocar e todas essas coisas que parecem chatas, mas que dão uma baita confiança para nós.

Agora, é claro, você também tem o direito de pedir algo para o seu namorado. Mas deixe isso explícito antes de vocês fazerem alguma coisa. Afinal, ele pode não topar e não gostar muito do seu pedido…

E você, já teve alguma relação a três? Comente aí sua experiência!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
09/06/2008 - 14:12

Os seus presentes de dia dos namorados

Compartilhe: Twitter

Ôpa! Muitos comentários, muitas idéias. Como tem gente criativa nesse mundo, mas adorei todas as dicas. Vou aproveitar esse post para agradecer todo mundo que comenta por aqui, em especial a Mariana Koscky, que me entreteve o domingo todo, rs. E vamos às dicas de presentes?

Pois bem, foi difícil de escolher. Mas lá vai:

A Bela, de 14 anos, disse que queria fazer duas coisas diferentes. Primeiro, no cinema e, depois, em um jogo de futebol. Assim os dois ficam felizes. Para o presente, comprar uma camiseta e desenhar algo nela com tinta para tecido e dar em um jantar a dois. Fofa e romântica, não?

A Kamilla foi simples e direta. Uma almofada com a foto dos dois pombinhos dois e um perfume. A idéia, apesar de bem legal, acho que já é muito clichê. Dá para variar mais, hein?

A Cinthia vai gastar todas as moedinhas do cofrinho em presentes para o namorado. A idéia da garota é comprar uma caixa e cobrir de fotos dos dois e alguns “eu te amo” escritos. Dentro, alguns bombons e, pasmem, um par de alianças “para selar o amor dos dois”, um ursinho e o perfume que ela usa, para ele nunca esquecê-la. U-A-U. Olha, Cinthia, eu acho bem legal essa iniciativa de você dar as alianças para o menino. O problema é se ele não quiser usar. Mas vai fundo, acho que ele vai adorar o big presente que você ira dar.

Thamires foi ousada, indicou uma cesta erótica. Seria tipo uma cesta de café da manhã, mas, dentro dela, itens que são, hm, digamos, mais interessantes. A frase final dela é a minha opinião: “Acho que é uma forma de trazer sensualidade, criatividade e um dia especial para ambos. Além disso, que namorado não gostaria dessa surpresa?!”. Mandou bem, Thamires!

A Dadi sabe o amor dos homens por futebol, então resolveu comprar para o namorado um jogo de cama com o time dele estampado e várias outras idéias legais, de acordo com os gostos do garoto. Jogos para quem gosta de vide-game, camisetas estampadas com a foto dos dois para quem é romântico, beijos para quem gosta de beijos. Nada mais justo, né?

A Carol resolveu ponderar e deixar de lado o que ela gostaria de ganhar para pensar no presente dele. Acho justo. A idéia dela é saber dividir as coisas: se você é romântica, de algo bonitinho para ele, mas não esqueça de dar algo que ele vá gostar, também. Por exemplo, algo que ele está precisando. Acho que ela está supercerta. Não são todos os garotos que gostam de coisas fofas e, do mesmo jeito que nós damos presentes à vocês, talvez algo sólido em troca também seja legal, rs.

A Kakah vai fazer um livro de fotos do casal e customizar ele todo. Além disso, uma camisa básica que segue o estilo do seu namorado para acompanhar.

A Karina pensou em fazer algo que eu já fiz com uma antiga namorada há um tempo. Que tal comprar uma caixa, colocar o presente lá dentro e encher o espaço livre com bexigas de corações que saem voando? Ia ser superlegal!

Larissa foteve uma idéia simples e bem original. Ela vai comprar um par de sandálias e mandar customizar, colocar uma frase de amor ou alguma foto do casal.

A May, super-romântica, pensou em algo que os dois possam fazer juntinhos. “Eu o presentearia com um bom livro que pudéssemos ler juntos, ou um para o outro, deitados na grama, ou num lugar aconchegante, que seja só nosso”. Muito fofa, não? Aposto que ele vai adorar.

Agora, pra todo mundo que mandou e-mail pedindo pra eu escrever o que eu vou dar no dia dos namorados, lá vai: (espero que a pessoa não leia esse post até dia 12!)

Comprei duas blusas, uma que ela queria demais e uma que eu achei linda (mas é a minha cara), um cachecol (no trabalho dela, o ar condicionado é muito forte e ela sempre reclama), uma camiseta de gola (só se pode trabalhar assim lá) e uma lingerie, claro, rs. Esses são os presentes.

Mas não paro por aí, para ser um pouco romântico, comprei um travesseiro e enchi de papéis escritos “vale um beijo”, por dentro. Na fronha, escrevi uma carta a ela, para não utilizar papel. Dois livros de histórias infantis, já que ela é mais velha do que eu e sempre diz que já passou da idade. Uma das histórias é “Branca de Neve e os Sete Anões”, daí vou dar junto um espelho escrito “NÃO”, remetendo à bruxa, que queria saber se existe alguém no mundo mais bonita do que ela e um arranjinho de sabonetes de corações, pra enfeitar a casa dela. É isso =)

Agora, espero que eu tenha ajudado vocês com as idéias de presentes.

Beijos e bom dia dos namorados!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
05/06/2008 - 11:33

O que comprar de presente para Dia dos Namorados?

Compartilhe: Twitter

É o seguinte: falta exatamente uma semana para o dia, talvez, mais romântico do ano. É o Dia dos Namorados! Para sair um pouco do comum, decidi não dar dica nenhuma de presente para vocês. Isso mesmo, dessa vez, quem vai fazer o post, são vocês, leitores do iBoy.

Seguinte: ursos, chocolate e flores não valem. A intenção é dar idéias criativas paras as pessoas que não decidiram o que comprar para os seus amados. Depois, no domingo, as 10 melhores idéias vão aparecer aqui no post do iBoy.

Como fazer? Comente, aqui nos comentários mesmo, e deixe seu nome e idade, além do seu presente. Se possível, deixe um e-mail também, para que eu consiga avisar caso seja escolhida.

Conto com vocês, hein?
Beijos!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
03/06/2008 - 16:16

5 dicas para sair da fossa

Compartilhe: Twitter

Oh! Ele se foi. Achou outra menina, mais bonita, mais inteligente, mais alta e mais rica – ela até tem uma bolsa da Gucci. Agora você vai para casa, fica o final de semana inteiro comendo brigadeiro, ganhando uma barriguinha e vendo filme água com açúcar. O tempo passa, o tempo voa… E você não sai da mesma. Ele não volta e, no Orkut, fotos de amor com aquela loira – que nem loira é, de verdade – não param de aparecer. A chamada “fossa” pode parecer medonha, cruel e sombria. Mas quando é a gente que cai nela, tudo parece gostoso, tranqüilo e cômodo. Hora de dar um ‘up’ na vida, não?

1 – Chegou lá? Então volta. Mão errada!
Tudo que vai, volta. Correto? Então, se de alguma forma você entrou nessa fase depressiva, o jeito de sair é igual. Não, eu não estou mandando você ir correndo procurar o cara que te deu um pé e pedir por uma ‘revisão’ do relacionamento, não. O que você tem que fazer? Não parar a vida, simplesmente. Pense bem, vai adiantar de algo?

2 – A última bolachinha quebrada do pacote?
Os motivos para se terminar o namoro são muitos. Provavelmente, se vocês estavam juntos, ele te acha bonita. E o mundo todo também. Não pare de se produzir toda para sair. Na verdade, essa é a época em que você deve procurar ficar mais bonita, para achar muitos novos garotos.

3 – Ele saiu por cima? Não, foi por baixo
Se ele não está demonstrando tristeza e agindo como se nada tivesse acontecido, nada na vida dele tivesse mudado, então você deve fazer igual. Junte todas as suas amigas e dê uma festa (mas não esqueça de não convidá-lo). Vai para a balada. Converse no telefone o dia inteiro. Compre roupas. Faça tudo o que você gosta, mas com mais vontade. Assim vai parecer que quem saiu ganhando foi você.

4 – Cachorrinho arrependido

E se depois de tudo isso ele querer reatar? Nanana-ni-na-não! É hora de seguir em frente. A essa altura, você já o terá esquecido completamente. Então ‘figurinha repetida não vale’. Busque novos ares!

5 – Ai, que saudade
A primeira coisa que você tem a fazer quando acabar um namoro é jogar fora todas as fotos, deletar do Messenger, apagar do Orkut e mandar um beijo bem grande pra ele. Assim, apagando-o da sua vida sem deixar rastros, você esquece mais fácil.

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
28/05/2008 - 09:35

Sexo forçado e garotos que dizem não: será que existe?

Compartilhe: Twitter

Hoje, assim que cheguei ao trabalho, vim com uma idéia de assunto para o meu texto. Mas daí abri o meu e-mail e não resisti, dei risada e fiquei, de fato, pensando no assunto. Lá vai.

“Caio, eu estou com um grande problema. Li seu post sobre ‘como dizer não’ e logo lembrei do meu namorado. Ele é um viciado em sexo. Se existe alguém que faz mais sexo do que ele no mundo, tá pra nascer. Quando durmo com ele, eu acordo no outro dia com ele em cima de mim, todo excitado. Daí a gente já começa o dia se divertindo. Tomamos banho e ele volta, todo fogoso, pegando em mim… Vou para a escola cansada, pois a manhã foi difícil. Tem dias que ele me liga no meio da aula e pede para eu dar uma saída rápida. Vamos pra qualquer motel que tenha perto. De noite, ele é um animal, quando estamos juntos, sozinhos, não tem quem segura. Me ajuda? Como eu faço ele parar? Se eu evitar, ele vai me trair? Existe homem que não gosta de sexo?”
Amanda

Olha, são tantas seguidinhas (desculpa a brincadeira, rs) que eu nem sei por onde começar. Bom, Amanda, você está com uma máquina de sexo, de fato. Não sei a idade do seu garoto e nem como ele é, mas, pelo o que você disse, ambos são jovens – já que você está no colégio e, nessa idade, é normal os meninos quererem sexo. O tempo todo. Mas não tanto. Como eu disse no post passado, você tem que começar a recusar essas situações. Quando não estiver a fim, joga a real, ele tem outras formas de se satisfazer. Sozinho, é claro.

Sobre a traição, acho que todos estamos vulneráveis a isso. Não é só o fator “sexo” que faz um homem procurar outra mulher. Geralmente, o relacionamento já vem desgastado há tempos. Para o menino ficar tanto com você, é que ele sente algo, também. Você não deve levar a situação por esse lado, pois daí vai acabar aceitando sempre, mesmo quando não estiver com vontade, só para evitar que outra pessoa apareça. O sexo é para ser gostoso e, para ser gostoso, os dois têm que estar no clima.

Se existe homem que não gosta de sexo? Perguntei no Messenger para algumas garotas se elas conheciam alguém que já recusou isso. Todas disseram que não, que sempre que propuseram, acabaram na cama com o garoto. Uma até disse que para nós, meninos, sexo é uma coisa banal. Para as meninas tem maior importância. Será mesmo? Posso parecer machista, mas, ultimamente, ando percebendo que as meninas não se importam tanto assim com o sexo. Todo aquele discurso antigo de valores já caiu um pouco, atualmente, muitos fazem por curtição. E os meninos até que têm se segurado. Um amigo, recentemente, disse que não fez sexo com uma garota que encontrou na balada pois sabia que nunca mais a veria. Acredita?

Então Amanda, acho que isso varia de pessoa para pessoa. Tem gente que faz, têm outras que são mais pudicas e têm outras que são forçadas. Basta você decidir o que quer fazer, com quem e quando. Mas fica a dica: nunca, mas nunca mesmo, apresente o Viagra ao seu namorado….

E você, já conseguiu fugir de uma tentativa forçada de sexo? E já encontrou algum garoto que recusasse? Como você se sentiu? Conta aí nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
20/05/2008 - 14:19

“Eu não sei dizer não”

Compartilhe: Twitter

Imagina a cena: lá está você, linda e feliz na balada, dançando com as suas amigas quando um garoto começa a se aproximar e trocar olhares. Esperta que só, logo que percebe que ele está flertando e doido para ficar com você. Até aí, tudo bem, você não gostou e já sabe a resposta para dispensá-lo. Porém, quando chega a hora, o menino vem e te pede um beijo. O que você faz? Beija! Por algum motivo, a sua resposta não saiu e você engoliu o ‘não’. Por que isso acontece?

Mais comum do que você imagina, muitas garotas simplesmente não conseguem dar um fora em alguém. E, quando namoramos, por que, de vez em quando, não conseguimos negar algo a quem gostamos, tipo um convite para jantar em algum lugar que você não gosta ou até negar o sexo? Isso acontece pois você, garota, não quer desagradar aos outros. Só que “praticando” esse ato, acaba desagradando, talvez, a pessoa mais importante de sua vida, ou seja, você mesma.

A tarefa para burlar essa ‘deficiência’ é difícil. Primeiramente, você tem que começar a ter amor-próprio e aprender a expor suas idéias e vontades. É todo um processo que precisa ser trabalhado em sua cabeça, você tem que ter autoconfiança e começar a abandonar o ‘tanto faz’ e o ‘sim’. Se não quer, diga não.

Quando nos envolvemos com alguém, temos que mostrar que temos opinião própria, sermos pró-ativos e deixar nossas vontades explícitas. “No começo do namoro, eu sempre fui cobrada por ele. A gente saia para jantar e eu comia qualquer coisa, nunca me expressava. Depois, quando ele queria sair, topava qualquer lugar. Pode parecer bom, né? Mas o meu companheiro não gostava, ele queria alguém que se impusesse, que mostrasse pulso forte na relação, coisa que nunca consegui”, afirma C., de 19 anos. Por mais legal que você tente ser, é chato ter que tomar todas as rédeas de um relacionamento sozinho. O garoto, no geral, gosta que a sua companheira palpite nos programas que terão e não que vocês dois, juntos, façam tudo o que ele já fazia sozinho. Qual é a graça de continuar com a vida que se tinha antes? Nenhuma! Você tem é que modificar, revolucionar tudo.

No caso da balada, se alguém que você não quer chega e pede um beijo, aprenda a dizer não sem medo. Afinal, você não tem obrigação nenhuma em ficar com tal pessoa. E se sua preocupação maior é não machucar os sentimentos do próximo… Bom, está mais do que na hora de acordar e perceber que, atualmente, o mundo em que vivemos é tão egocêntrico que ninguém, além dos seus familiares e amigos, pensam em você com tanto carinho. Não que isso seja bom, mas não é algo que você deve se culpar. Não, não e não!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
14/05/2008 - 12:30

É hora de dar tchau. Agora oi. Agora tchau. Oi?

Compartilhe: Twitter

Tem um momento no relacionamento em que a confusão predomina na cabeça de ambos. Com tantas brigas, diferenças, chateações e afins, os pombinhos começam a se transformar em águias e não deixam passar nada. Qualquer deslize, por menor que seja, vira motivo de uma briga gigante e, depois disso, o final da relação. No outro dia, quando os ânimos acalmam, a saudade bate e o telefone toca. É ele! E suplicando por perdão. Tem coisa melhor?

Sim, é claro que tem. Não conta pra ninguém, mas é muito bom quando a gente briga ver que a outra pessoa está correndo atrás e se arrependendo, não é? Só que isso deve acontecer uma ou duas vezes na vida, não virar rotina. Acredite, com tantas brigas e vaivém, você só irá se desgastar. E, o pior, as elas nunca irão acabar.

Então lá vai o guia de etiqueta para momentos de ira:

1 – Brigou? Não termine, não jogue a aliança, não xingue, não ofenda. Só um pouco, vai!

No momento da briga, os ânimos esquentam, eu sei. Mas tente se controlar. Respire fundo, deixe a pessoa falar o que quiser e esfriar a cabeça. Depois, quando os dois estiverem mais calmos, sente e converse. Não adianta querer culpar um ao outro na hora da discussão. Nesse momento, você sempre vai querer estar com a razão. E a verdade é que todo mundo erra, inclusive você.

2 – Terminou? Mande flores!

Depois do término do namoro, os dois querem ficar quietinhos, respirando e pensando na vida, certo? Se você não quer, de fato, acabar de vez a sua relação, então surpreenda! Mande flores, chocolate, ursinho de pelúcia ou, melhor, vá até a casa dele! Deixe um pouco o orgulho de lado e faça alguma coisa para salvar o seu relacionamento. Afinal, isso é um assunto de seu interesse, né?

3 – Ele estava bêbado…

Então ignore tudo o que ele disse. Bêbado, as pessoas falam tudo o que lhes vêm à cabeça. Algumas vezes pode ser verdade, outras não. Na dúvida, ignore, esqueça. Ele pode falar várias coisas que te possam te magoar, depois, se quiser, pergunte o motivo de tais coisas, mas nunca leve nada a sério.

4 – Ele é um pé no saco

Tem gente que, para sair ganhando em uma briga, utiliza de tudo. Então a pessoa começa logo exemplificando com relações passadas, te comparando com outras meninas, falando coisas íntimas e tudo o mais. Daí, é claro, ele tem que mudar o jeito de ser. Isso pode levar um tempo, mas se a pessoa gosta de você, com certeza começa a pensar duas vezes antes de falar qualquer coisa.

5 – Ele sempre me bateu

Se ele te agredir, o melhor é começar a pensar na relação. Nunca aceite qualquer agressão física (claro, involuntária). Isso é o ápice da falta de respeito.

E você, já fez alguma coisa de absurda na hora da briga com o seu namorado(a)? Conte aí!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
06/05/2008 - 13:12

Até onde o virtual não passa de… virtual?

Compartilhe: Twitter

Para abandonar a graça do mundo virtual e cair nas tentações do real, basta um clique. Entrar em salas de bate-papo, esquentar uma conversa com palavrinhas bobas via Messenger e até exibir o corpo para alguém on line virou algo freqüente. Com a grande e acessível tecnologia da atualidade, o sexo pela webcam se tornou comum entre muitos jovens solteiros. O que agrava toda a situação é quando a pessoa é comprometida.

“Eu sempre me conti na web. Nunca fiz nada demais, nunca visitei sites de pornografia e sempre confiei no meu namorado. Um dia, no entanto, eu abri o Messenger dele e vi vários contatos suspeitos. Me segurei, não fiz nada e saí. Mas é impossível, né? Na mesma noite eu saí correndo para a internet e abri o programa de novo, olhei toda a lista de contatos dele e até procurei alguns históricos no e-mail. Achei umas conversas absurdas, que me deram nojo de estar com alguém daquele tipo. Para piorar, alguém me mandou um ‘oi, gatinho’, seguido de um pedido de conversação por vídeo. Aquilo me magoou, eu fiquei perdida e agora não sei o que devo fazer”.

Esse é o e-mail que recebi de Karla, de 19 anos, procurando ajuda com relação aos atos on line do seu namorado, um garoto um pouco mais velho, de 23. Um dos grandes dilemas da garota foi que, por o menino ter mais idade que ela, ela acreditava que ele já tinha passado dessa fase e procurava por algo fixo, sem besteiras. Bom, Karla, por mais doído que seja descobrir isso, não há idade para a “brincadeira”.

Agora que você já leu coisas que te chateou, você deve parar e pensar no que realmente quer para você. Ficar ao lado de alguém assim vale à pena? Se sim, então engole o choro. Lembre-se que, até onde você sabe, as conversas não passaram de papos virtuais e a coisa não ficou real. Logo, se você for acusar o seu namorado de algo, ele irá contra-atacar dizendo que você quebrou a confiança dele ao fuçar na sua vida sem ao menos pedir permissão. E ele tem toda a razão. O problema de você ficar quieta nessa situação é que você nunca irá mudar e vai guardar isso para sempre, ficando com um pé atrás para tudo. Isso pode prejudicar muito o relacionamento. Além de acabar com você.

Agora, na real. Pode machucar, pode ser chato e você pode ficar desconfiada, com todo o direito. Mas os garotos nunca mudam e vai ser difícil você achar alguém que não se divirta com algumas coisinhas que a internet oferece. Claro que vídeos e fotos não são tão pessoais quanto uma conversa íntima. Mas o que é traição nesse caso? Só o bate-papo já conta ou ela ocorre somente quando houver um contato corpo a corpo?

É de se pensar, certo? Vamos ajudar a Karla. O que você faria se descobrisse que seu namorado troca mensagens íntimas com outra mulher? Comente!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
29/04/2008 - 08:13

Guia de etiqueta para quando sair de balada com o namorado

Compartilhe: Twitter

“Crééééu, crééééu”. Sair para a balada e levar o namorado na mala é sinônimo de confusão na certa. Os problemas podem ser variados: olhares perdidos, pessoas indesejadas, amigos odiados, xavecos, sensação de insegurança, ciúme etc. e tal. O ideal é, caso você namore, pensar duas vezes antes de ir para a balada. Se tiver que arrastar o namorado, então pense três. É tudo por sua conta em risco, afinal, você pode ter de ir ao banheiro e, quando voltar, vê-lo dançando na velocidade cinco da “Dança do Creu” com qualquer outra mulher, seja lá a fruta que ela quiser ser. E por que não criar um guia de etiqueta para os pombinhos baladeiros?

Para evitar situações chatas, conversem bastante antes de ir e combinem que vocês não irão brigar. Mesmo se estiverem um pouco ‘altinhos’, falem caso alguma coisa os incomodarem. Lembre-se que balada não é o lugar de discutir o relacionamento, vocês estão ali para se divertir, espairecer um pouco e se curtirem melhor, acima de tudo.

Agora, preste bem atenção: você está na balada, lugar de gente arrumada, toda montada, com muita maquiagem pra tirar as espinhas, olheiras e imperfeições e aonde as meninas vão com os melhores decotes e as piores saias. É claro que o seu namorado vai olhar tudo isso! Pensa bem, tem algum problema em olhar as pessoas? Ele não está fazendo mal a ninguém, é só um tremorzinho na atenção. E aposto que você também fica olhando os menininhos de skinny por lá. Não o culpe, olhar não arranca pedaço.

Seguindo, faz de conta que você é superpopular e já ficou com alguns muitos garotos. Daí vai para a festa e todo mundo vem te cumprimentar, seu namorado, sem conhecer ninguém, fica com aquela cara de paisagem e é claro que você vai ter de dar alguma explicação para ele. Conte a verdade. Vai ser bem estranho e ele pode – com todo o direito, né? – se chatear um pouco, mas depois passa. É só você mostrar que aquilo tudo é passado, depois, seu amor é todinho dele.

Só não faz barraco na balada não, tá? Ninguém merece. O ideal é não ficar olhando essas coisas, é ter atitude e fazer algo. Senão depois vocês vão discutir e, nesses casos, só probleminhas passados irão aparecer, já que ninguém vai ter um argumento melhor do que o do outro para definirem a discussão.

Para finalizar, não exagere na dança. Comporte-se, abrace o seu namorado, dê muitos beijos e, antes de ir embora, agradeça a companhia e diz que o ama. Pronto, a balada perfeita.

Já aconteceu alguma coisa muito ruim com você e seu namorado na night? Conta nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
24/04/2008 - 14:05

Depois do perdão, vem a solução?

Compartilhe: Twitter

Trair alguém, em um relacionamento, significa quebrar todos os laços de confiança, carinho e respeito que existem entre as duas pessoas e se envolver com um terceiro. A traição pode acontecer em qualquer relação e, apesar de muito dolorida, ela pode ser o ponto que irá fortalecer ou definir de vez o namoro.

Na visão míope e corriqueira, a traição ocorre quando há algum tremor na base do relacionamento. Ou um dos lados não quer mais ou é só diversão. Quando acontece, o lado traído sempre é o prejudicado pela visão de todos e todos atiram pedras no traidor. De culpa, todo mundo tem um pouco. Quando o ato ocorre, há duas opções: desculpar e limpar de vez os panos do relacionamento, já que ele chegou no seu limite, ou colocar de vez um ponto final.

Para a psicóloga Ana Estela, o fator ‘infidelidade’ está presente em todos os relacionamentos. “A traição pode surgir por insatisfação sexual, pela busca da pessoa ideal, por chateação, vingança, desejo ou simplesmente por carência. Se a balança pesa de um lado, a pessoa vai procurar em outra o que sente falta”, afirma.

Perdoei. E agora?

Quando você perdoa alguém de uma pulada da cerca, além de todo o amor que você sente pela pessoa, uma coisa tem que ficar acima de tudo: confiança. Depois da quebra de vários valores construídos juntos, se você acredita que a pessoa irá mudar por causa do deslize, deve acreditar em tudo o que ela fala e não querer se vingar ou coisa do tipo. Simplesmente coloque em sua cabeça que tudo pode ser diferente.

Thaís, de 22 anos, diz que, depois de traída, ganhou um novo namorado. “Ele foi pra balada sozinho, voltou e ficou estranho, obviamente, desconfiei e forcei a revelação. Até que ele me contou. Eu perdoei e, depois disso, virou um fofo comigo. Nunca mais saiu sozinho e nossa relação melhorou muito. Até onde sei, nunca mais rolou traição. Da parte dele, pelo menos…”.

Já Juliana, também de 22 anos, nem namorar namorava. Ela simplesmente ficava com um carinha e tinham um relacionamento bem aberto. “Por ele ter chegado em mim e contado a verdade, deu pra ver que ele gosta de mim e que eu podia confiar. Foi legal e a gente tinha uma comunicação bem aberta. Pena que acabou, um dia, por qualquer outro motivo”.

Lia, de 18, foi o Judas da questão. Ela traiu e foi descoberta, depois disso, arcou com as conseqüências. “A relação ficou frágil, ele começou a me controlar, ir comigo para todos os lugares, sempre queria saber onde eu estava etc.. E além de tudo, qualquer briguinha virava uma brigona”.

Em três situações diferentes, dá para perceber que cada relacionamento tem um tipo de resolução. Para Thaís, a traição foi boa, pelo menos para ela, já que o garoto se transformou em outro tipo de cara. Dá pra notar, aí, que a pessoa gostava realmente dela. Já para Juliana, que tinha um relacionamento diferente e não tão sério, a traição foi só uma maneira de ganhar confiança na palavra do cara. Lia foi a mais prejudicada, já que, ao que parece, os dois não conseguiram ‘acreditar’ em um novo começo após o tumulto.

E os garotos, aceitam?

Para os meninos, tachados de sem coração e nada sentimentais, a traição pode ter peso no relacionamento também. Rafael não perdoaria de jeito algum. “Se me traiu, é que não está mais feliz comigo. Na hora quebra o encanto e por mais que eu gostasse dela, nunca iria conseguir olhar de novo sem imaginar o cara beijando minha garota”, relata.

Por sermos mais ‘brutos’ e ‘insensíveis’, a traição geralmente é um grande motivo para acabar de vez com o namoro.

Lucas sabia que era traído, mas nunca teve isso exposto de forma oficial. “Eu sabia que ela me traía, mas nunca me contou. Então comecei a trair também, faz bem, só que eu fazia pior. Traia com uma, duas, três…”.

Já para Henrique, a traição foi um baque muito grande, mas, por amor, ele resolveu manter o relacionamento. “Eu respirei, gosto muito dela, então resolvi perdoar. A gente amadureceu, tanto eu, quanto ela. No começo acreditei que era por minha culpa, por eu não ser bonito o bastante e nem corresponder a ela. Depois, vi que os dois erraram muito. Hoje a gente briga de vez em quando, mas melhoramos muito”.

Querendo ou não, quando se perdoa, ambos sofrem muitas mudanças e começam outro tipo de relacionamento. Daí vai depender da força de vontade dos dois para fazer funcionar e não acontecer de novo ou não. Se você for igual ao Lucas, cuidado para não se enganar: isso não lhe faz bem, só mal. Afinal, quem é que gosta amar alguém e ter que ficar com outras pessoas para ‘equivaler’ às atitudes do outro? É uma troca injusta, né?

Agora conta aí nos comentários, você perdoaria? E já perdoou? Se sim, conta aí pra nós o que aconteceu!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
Voltar ao topo