Publicidade

Publicidade

22/09/2009 - 12:06

O que significa “dar um tempo” na relação?

Compartilhe: Twitter

dv1659023

Manhã bonita. Você se arruma. Sai de casa, cruza a esquina. Encontra o seu namorado, que está de cara fechada. Um beijo, um abraço. E ele vem com uma história estranha. Você ouve, até que ele conclui: quero dar um tempo. Oi? Como assim, tempo? O que é dar um tempo em uma relação?

Não sei vocês, mas eu encaro o tal do tempo como um tal de término. Acredito que a partir do momento em que uma pessoa pede para não estar com você, seja lá se for para sempre ou por um período qualquer, quer dizer que você está livre. Claro, caso isso ocorra com você, é necessário conversar com o garoto para saber o que ele está querendo com esse pedido. Na minha cabeça, não existe a possibilidade de você namorar sem estar com a pessoa, portanto, o tempo é equivalente ao fim.

Neste período indefinido de vida, você deve se sentir livre para fazer o que tem vontade, sem se explicar ou avisar a pessoa que namorava. Quando você não tem um compromisso com alguém, você tem a liberdade para fazer o que quer. O tempo, mesmo que não seja um final definitivo, é um momento que você deve usar para pensar na vida, pensar na relação, pensar nas suas vontades, objetivos e ideais. E, para pensar na vida, você precisa estar sozinha. Precisa estar bem consigo mesma e precisa acreditar que você não deve nada a ninguém, portanto, não é preciso dar nenhum tipo de explicação para o garoto. Ah, vale lembrar que qualquer cobrança é inaceitável. Você não pode cobrar um comportamento dele e ele não pode cobrar o mesmo de você. Afinal, com o tempo, vocês dois não são mais um só.

Se, por acaso, no futuro, vocês decidirem acabar com esse período confuso e tentarem levar a relação para frente, não é necessário contar tudo o que você fez durante esse tempo. Caso você se sinta melhor abrindo o jogo e falando se fez algo de ‘errado’, não tem problema, mas isso pode gerar situações estranhas para o futuro. Caso o tempo seja um eufemismo para o fim… Bom, não há o que fazer, né? Siga a vida, seja feliz e sinta-se livre. De vez em quando, é bom estar sozinha.

E você, como encara um ‘tempo’ na relação? O que você faz? Comente e discuta aí!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , ,
15/09/2009 - 15:32

Tem como transformar o meu namorado em um namorado chiclete?

Compartilhe: Twitter

stk32455tto

As garotas são um problema mesmo. Como todo ser humano, estão sempre reclamando. Não, não me venham falar que já comecei o post de hoje sendo machista, porque isso é mentira. Vocês sabem que reclamam mais do que os meninos. Um grande problema para as meninas é a forma que os seus namorados as tratam. A maioria gosta de homem chiclete, clamam por um homem que não para de se declarar um minuto sequer. Imploram por alguém romântico. Daí, depois de um tempo, vocês não aguentam mais. Não é assim?

Não, não há formas de transformar um garoto ‘comum’ em um garoto chiclete. Isso é uma ‘qualidade’ particular, de cada um. Na verdade, é a forma de ser do menino. Existem variados tipos de garotos, você, ao começar um relacionamento com um, já deve saber, mais ou menos, como é que ele vai te tratar. A real é essa, ninguém muda tanto. Você pode conseguir algumas coisas, como deixar o cara mais ligado em você, dar algumas dicas para ele de como você gosta de ser tratada, mostrar o quanto você precisa de algumas atitudes que ele não tem. Porém, no fundo, a essência nunca muda.

Se o menino não te liga o tempo todo, não tem jeito de ser ciumento, não pega no seu pé o tempo inteiro, não adianta insistir, isso nunca vai acontecer. Na verdade, se você ficar muito em cima, pode acabar criando uma insegurança danada no garoto, que vai achar que você faz coisas erradas e que ele precisa ficar mais esperto com você. Daí já sabe, né? Insegurança em um relacionamento é igual briga, muita briga.

Começou a namorar um menino que não é do jeito que você queria? Se você realmente gosta dele, isso não vai ser um problema. Quer dizer, no começo você vai criar várias paranóias na sua cabeça, achando que ele não gosta de você da mesma forma que você gosta dele. Depois, quando você entender que (graças a Deus) as pessoas são diferentes uma das outras, você vai acabar aceitando a idéia. E daí quem vai mudar é você. Com o tempo, você vai crescendo, acreditando mais em seu relacionamento e percebendo que não precisa de alguém 24/7 no seu pé. Vai entender que liberdade é bom, que um tempo longe é gostoso e que, acima de tudo, o respeito e a fidelidade é o que move vocês dois.

Ah! E chiclete enjoa… E você, já teve um namorado chiclete? Gostou? Comente!

* Sugestão de post enviada pela Lavínia

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , ,
Voltar ao topo