Publicidade

Publicidade

Arquivo de janeiro, 2010

20/01/2010 - 14:38

Privacidade, fidelidade, sinceridade

Compartilhe: Twitter

56459955

Resolvi, hoje, fazer um título direto, sem delongas. Privacidade, fidelidade e sinceridade. Talvez estes sejam um dos grandes conflitos nos namoros atuais. Com a internet, tudo ficou mais dúbio, mais duvidoso, mais provocante. Enquanto jovens e solteiros, seguimos a nossa vida de forma simples: tudo o que fazemos importa a nós. E somente a nós. A partir do momento em que entramos em uma relação, o conflito: o que compartilhar?

Eu demorei a entender que a vida a dois é, ao mesmo tempo que junta, separada. É difícil, complicado e… fácil! Seguinte, mesmo que você comece a namorar, você não precisa dividir tudo com o seu namorado. E isso vale para o noivado, para o casamento, para qualquer momento da vida. Namorar pede fidelidade e sinceridade (que, sim, são coisas diferentes). E pede a bendita privacidade.

Por mais juntos que estejamos, existem coisas que são só nossas e ninguém tasca. Existe, é claro, uma grande tentação para você fazer parte totalmente da vida do garoto. Uma vez disse aqui que é legal trocar senhas de email e Messenger com quem você se relaciona. Errei. Não é legal. Aquele é um espaço teu, uma coisa tua, onde só você tem o direito de olhar. E não é somente a vida online que deve ser particular, não. Existem várias outras coisas da vida que não podem (e não devem) ser divididas.

Dois não se tornam um, infelizmente. Espiritualmente, até pode rolar. Isso acontece quando existe aquela ligação máxima entre duas pessoas que se amam. Que se amam de verdade. Quando um se preocupa com o outro, quando um é feliz pelas conquistas do outro. Fisicamente, existe a necessidade de separação. O ser humano é, como todos sabem, egocêntrico. Nós, mesmo negando, conversamos com as pessoas com um teor um pouco sexual, na expectativa de prospectar, de se sentir querido. Existem coisas que o namorado não precisa saber, contanto que você faça sua parte: seja fiel e sincera. De nada adianta namorar se você não quer mais o bem do outro ou se você faz coisas escondidas.

O namoro, como eu sempre insisti, não pode ser, de maneira alguma, uma competição. O namoro é uma ligação, uma junção. E só.

Beijo!

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
14/01/2010 - 13:43

Meu namorado é um bobão

Compartilhe: Twitter

200307554-001

“Oi Caio, me chamo Babi, tenho 20 anos e o meu namorado também. Estou, no momento, namorando há nove meses e, de um tempo para cá, estou ficando incômoda com uma coisa: meu namorado é uma criança boba. Eu gosto muito dele, ele é muito fofo e carinhoso comigo, só que o jeito infantil dele me incomoda. Já tentei dar algumas indiretas nele, para ver ser mudava alguma coisa, mas nada adiantou. Minha mãe me disse que ninguém pode mudar o jeito de outra pessoa, que eu tenho que esperar ele se tocar que está sendo infantil o tempo todo com as brincadeirinhas e com o jeito dele. Eu, no entanto, sou mais madura. Até na hora de decidir os programas isto tem atrapalhado um pouco. E o pior: meus amigos, primos e conhecidos ficam chamando ele de banana, crianção. Queria saber se existe alguma coisa para fazer ele perceber como é e tentar muda.

Me ajuda? Beijão!”

Todo mundo, em algum momento, já ouviu aquela história de que as mulheres amadurecem antes que os homens. Na vida, a gente consegue perceber isto, de fato. Na verdade, tudo não passa de questões de princípios e criação. Enquanto os homens chegam aos 25 anos pensando em videogame, futebol e moças, as mulheres, aos 20, já estão pensando em constituir uma família, montar uma casa e, mais recentemente, em ter uma boa profissão. Pensando assim, não sei se a palavra certa é ‘amadurecer’, tendo mais para questões de diferenças, mesmo.

Além de toda esta discussão, vale lembrar que cada pessoa tem o seu estilo, seu jeito. Existem meninos que são brincalhões, bobões, por assim dizer, e outros que são mais sérios. Vai de você se apaixonar por aquele que gosta. Lembrando que paixão não engloba somente o físico, por isto que, antes de qualquer relacionamento, você precisa conhecer bem a pessoa. Se teu namorado é assim, quer dizer que você se apaixonou por ele assim. Claro, existem adaptações que devem ser feitas no decorrer do namoro para que os dois consigam ter uma boa vida juntos, caso contrário, vocês viverão em guerra eterna.

Não dá para mudar as pessoas. Você consegue moldar, mas nunca criar um novo alguém. É bom lembrar que, antes de você, o garoto teve uma vida, um estilo de criação e uma personalidade que demorou anos para ser criada. Caso você comece a criticar tudo o que o menino faz, ele vai começar achar que tem alguma coisa de errado: ou é ele, ou é você. O natural do ser humano, claro, é culpar você. A gente sempre tem razão.

Conselho: não tente mudá-lo, mas tente podá-lo. Converse sobre os tipos de brincadeiras e assuntos que você não goste, deixe claro as coisas que você curte fazer. Faça uma lista, uma agendinha de namoro, para vocês cumprirem. Alguns dias você faz o que ele gosta, outros, ele faz o mesmo. Mas vá com calma, né? Não existe nada mais chato do que você namorar alguém e a pessoa ficar te cutucando em cada coisa que você falar. Parece que rola uma vergonha e, com isto, a relação acaba estragando.

Se você gosta mesmo dele, dê um tempo para ele crescer. Aos poucos, as pessoas vão mudando naturalmente. É só começar a ganhar responsabilidade e se envolver com gente diferente. As conversas acabam se tornando maduras, melhores.

E afinal, quem é que nunca namorou um bobão?

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos Tags: , , ,
06/01/2010 - 16:18

“Perdi a virgindade com o meu namorado, mas não gostei…”

Compartilhe: Twitter

56528798

Tá aí uma das coisas mais comuns do mundo: meninas que não gostam do sexo de primeira. Depois de esperar tanto tempo, de tentar encontrar o garoto certo, de criar todo um clima para o momento, uma grande decepção. É comum, é comum. Na verdade, existem várias meninas que não gostam do sexo na primeira vez. Existem algumas explicações, sim, para isto.

Primeiro lugar: todo mundo que já passou da quarta série sabe que existe, na vagina, o hímem, que é aquela espécie de pele que é quebrada após a primeira relação sexual. Por isto, na primeira vez, o sexo pode doer e incomodar bastante, além do comum e até sangrar. A primeira vez de uma garota é rodeada de possíveis traumas, que podem acabar comprometendo por um bom tempo o desempenho e a vontade sexual da menina. Se o garoto não for compreensível e ir com ‘muita sede ao pote’, pode acabar machucando a menina de uma forma que aumente em 10 vezes a dor que é normal sentir na relação sexual. Por isto, antes de qualquer decisão, é preciso conversar bastante com o menino e pedir para ele ir devagar. É fácil. Se for devagar, depois tem mais. Se for com pressa, demora mais tempo para ter de novo, né?

Outro motivo para o sexo ser ruim na primeira vez é a tensão. Ainda existe, para várias meninas, aquele tabu da primeira vez – que é correto, pelo menos para mim. As garotas costumam se resguardar mais do que os homens quando o assunto é sexo e, por isso, acabam ficando bastante tensas na primeira vez. Com essa tensão, é comum que o ato sexual doa, porque o seu corpo inteiro fica mais travado, impedido de relaxar e aceitar mais o momento. Aí, além de dor, ainda vem todo um incômodo que passa pela cabeça da menina. “Será que tá certo?”, “será que ele está gostando?”, “e se eu mudar de lado?”. Meninas, na primeira vez, o mais legal a se fazer é tentar aproveitar ao máximo o momento. Peça um pouco de delicadeza ao menino e, caso você sinta muita dor, pare. Tente de novo outro dia. Deixe para mais tarde.

Se a sua primeira vez for muito ruim, muitas meninas afirmam que a segunda é melhor. O que não vale é acabar acreditando que vai ser sempre igual e, por isso, evitar fazer. Sexo é gostoso, é claro, e muitas meninas – e até meninos – têm uma primeira relação que é traumática. Basta saber resolver isto, aos poucos, de acordo com o tempo, não é?

E você? Como foi a sua primeira vez? Conte para nós nos comentários e ajude quem precisa de conselhos 😀

Autor: - Categoria(s): Relacionamentos, sexo Tags: , , , ,
Voltar ao topo