Publicidade

Publicidade

Arquivo de junho 24th, 2008

24/06/2008 - 13:34

O coração só escolhe a pessoa errada…

Compartilhe: Twitter

Eu bem já tenho os meus 20 anos, então me dou, de vez em quando, com algumas situações bem inusitadas. Há algum tempo, em uma conversa boba na internet, meu amigo me contou uma de suas últimas aventuras sexuais: ele saiu com uma garota de programa. Até aí, tudo bem, cada um faz o que quer e ele já tem idade suficiente para limitar a vida dele. Mas a aventura não acabou aí. Ele se apaixonou pela garota. Não foi uma paixãozinha besta, não. Foi daquelas avassaladoras, que te deixa no mundo da lua e faz até o menino mais rude escrever “Eu (coraçãozinho) Ela” na página do caderno. A atitude dele foi óbvia. Todos os dias, no mesmo horário, ele ia encontrar com a menina na casa em que ela trabalhava, gastava uma grana e ficava conversando com ela, fazendo carinhos e bebendo algo. De acordo com ele, tal garota não lhe dava a mínima. Era claro que ela só queria saber do dinheiro. E ele sofreu. Jogou todas as suas lamúrias em mim e sofreu de amor por alguém que, de acordo com ele, não o merecia. Eu não sei direito qual a idade das pessoas que lêem esse blog (vocês podiam começar a deixar a idade nos comentários), então eu vou amenizar um pouco a situação para comentá-la. Faz de conta que você ficou com o cara mais galinha do seu colégio…

Mudar as atitudes e ações de uma pessoa logo de cara é praticamente impossível. Se você se relaciona com alguém que tem certas manias e um estilo de vida já meio que fixo, provavelmente ele continuará igual, com ou sem você. Mas vamos lá: você beijou o cara e se apaixonou, qual a melhor forma de proceder? Antes de tudo, você tem que pensar se tem disposição para ficar ao lado dele, preparando-se antes para os possíveis machucados que essa relação irá causar. Se sim, vambora pra frente.

Leal e fiel?
A parte mais difícil de qualquer namoro é a promessa de fidelidade e lealdade. Quando juntos, as pessoas perdem a liberdade de ficar com quem quiserem e, muitas vezes, essa é a parte mais complicada da adaptação. Imagina para alguém que tinha a galinhagem como um estilo de vida. Desde o começo de tudo, você terá uma imagem feia do menino – aquele que fica com todas sem pudor. Logo, você vai se achar traída o tempo todo e isso vai ser terrível. A razão é de quem diz a verdade. Foi você quem quis aquilo, então terá que aturar algumas coisas, tentando sempre moldá-lo, por mais estranho que pareça. Se o garoto topou ficar com você, já é uma boa vantagem, você deve ter algo que chamou a atenção dele.

O ombro amigo
Eu sou daqueles que acha que a partir do momento que a gente beija a boca de outra pessoa, devemos a ela fidelidade. Não importa se foi só uma ficada não resolvida, ela dura até o momento em que alguém dá um ponto final. Se o garoto não quiser abandonar a vida dele e você topar isso, peça, ao menos, lealdade e respeito. É para você que ele irá correr no final da noite, quando precisar de colo. E é exatamente aí que você vai roubar o coração dele.

Se você estiver ali para dar suporte à pessoa quando ela precisar, ela sempre acaba caindo de amores por você. Mas como tudo na vida tem um limite, você tem que ver até que ponto ele está te usando. É fácil ter alguém para nos ouvir, mas é difícil ouvir os outros. E ser um pseudopsicanalista sem ganhar nada em troca não é nada legal. Só tome cuidado, é sempre bom.

Para finalizar, a tarefa é difícil e as chances de uma desilusão amorosa quase chegam à casa dos 100%. E meu amigo? Ele tomou coragem e fez o que todo mundo pediu para ele não fazer: levou a garota para a casa, deu um banho de loja, arrumou um emprego para ela e hoje afirma que estão “muito bem, obrigado”. De vez em quando, é bom tapar os ouvidos, ignorar o mundo e seguir o coração…

E você, já teve alguma experiência parecida? Comente!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
Voltar ao topo