Publicidade

Publicidade

Arquivo de março, 2008

25/03/2008 - 08:57

A real das ladainhas contadas pelos garotos

Compartilhe: Twitter

15 anos, adolescência, hormônios, saias, vestidos, coxas, bumbuns e peitos. Uma viva aos decotes e à ‘vulgarização’ das roupas femininas. Apaixonada, “Romeu e Julieta”, sonhadora, romântica e Cinderella. Quase me esqueço: enganada. A leitora Laura Gusmão, no meu último post, deixou um comentário suplicando por ajuda. A situação dela é a seguinte: ficou com um cara mais velho, se apaixonou, descobriu que ele a traia, deu uma bota no garoto mas, mesmo assim, ele continua correndo atrás. Para o final não feliz de Laura, o cara ainda liga e diz que ‘ela é especial’. Na verdade, não é tão difícil assim entender as reais intenções masculinas – e femininas, afinal, o que nos afasta de corpo é evidente, mas de alma…

Desde a minha primeira paixonite por uma garota do colégio, que obviamente não me dava bola (eu estava naquela fase de corpo estranho, espinhas, nojeiras e afins, aposto que hoje ela tá arrependida, rs!), todos os meus colegas me diziam que é sempre bom ter um bobo para correr atrás. Mentira? Não! Com a vida, a gente só vai percebendo cada vez mais que isso é a verdade nua e crua dos relacionamentos. Laura, o xis da sua questão é: até onde você irá tolerar as traições e cair nas ladainhas desse menino? Pela forma que você descreveu a situação, tudo o que ele quer é ter você ao lado dele, afinal, você deve ser uma pessoa bonita e legal para se ter perto. Depois que ele te reconquistar, todo esse romantismo desaparece e você vai acabar vivendo uma relação complicada. E aí o jogo inverte: você é quem vai acabar correndo atrás dele. A verdade é que o que é cômodo, sempre acaba sendo gostoso.

No geral, os meninos têm o dom de criar situações e ladainhas variadas. Afinal, alguém já recebeu a ligação do dia seguinte? Ou, quem sabe, já se sentiu realmente especial ao lado de um moleque qualquer? Provavelmente não. Em contradição, é um erro generalizar a nossa ‘raça’ dessa forma e afirmo aqui que muitos garotos falam o que sentem de coração e estão dispostos a fazer a coisa toda acontecer, mas aí quem não quer nada com nada são as garotas. Estão entendendo o que eu quero dizer? Às vezes há um conflito de interesses por ambas as partes. O grande problema é que a sociedade já impôs em nós, homens, um rótulo de ‘cafajestes, machistas, sem vergonha e mentirosos’ e daí qualquer ação errada é uma justificativa para queimar mais ainda o nosso filme. Mas e vocês, meninas, nunca fizeram algo do tipo? É bom pensar antes de atacar as pedras, não?

Fica a dica: não acredite em tudo o que você ouvir da nossa boca, mas também não critique um elogio, não negue uma paixão e, muito menos, nos julgue por atos falhos. Errar é humano 😀

Mas e você, já caiu em alguma ladainha masculina (ou feminina)? Conte aí nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
18/03/2008 - 09:16

10 coisas que os garotos não devem dizer a elas

Compartilhe: Twitter

As meninas que me desculpem, mas o post de hoje vai diretamente para os garotos. Em uma singela resposta ao texto da Thaís no blog Dica do Dia, onde ela cita 10 coisas que as garotas não devem dizer a nós, meninos, aí vão 10 coisas que nós não devemos dizer a elas. Afinal, de desbocados e insensíveis, o mundo está cheio.

Tira o sutiã. Uau! Tá, agora põe de volta?
Você estava lá no bem bom, a moça toda desinibida, você aproveita a situação e pede para ela tirar a blusa. Depois, vestindo somente aquele sutiã de rendinha com cristais Swarovski, você vira a menina e tira a peça. E junto com ela vai todo o peito da garota, né? Milagroso e todo poderoso bojo! Se uma situação dessas acontecer com você, não comente, não faça cara feia e muito menos desanime. Apesar de ser “errado”, muitas garotas abusam de sutiãs desse estilo para impressionar e dar uma valorizada no visual. Leve de boa, eu sei que pode ser constrangedor, mas ou você paga um silicone para a garota ou fica sem nada, certo?

Você já pensou em fazer um regime?
Todo mundo já está cansado de saber como as meninas são complexadas em relação ao corpo. A magreza das top models dominam o padrão de beleza da sociedade e a silhueta almejada é exatamente aquela que você vê na televisão. (in)Felizmente, não é fácil manter um corpinho daqueles, não. A moça está um pouco acima do peso? Fique quieto, ninguém merece ser zoado pelo seu protótipo físico. Se você está com a menina, dê um banho de elogios e faça-a se sentir a moça mais linda e gostosa de todo o mundo!

Mas eu não quero nada sério, viu?
E quem perguntou? De verdade, se é para começar um relacionamento com o pé atrás, nem comece. Nunca diga nunca! De vez em quando, a gente se impressiona tanto com uma pessoa que o lance de ‘não querer nada sério’ torna-se mero sonho e acabamos totalmente apaixonados. Não fique com ninguém com uma premissa de que vai acabar ali, você pode se surpreender…

Sua saia não está muito curta? E sua blusa não era mais fechada?
Quer meter o bedelho na roupa que sua garota está usando? Vai com fé! Mas cuidado com a resposta, quem fala o que quer, ouve o que não quer. Deixe a menina abusar do visual enquanto ela está com tudo em cima. A idade passa para todo mundo e a lei da gravidade fica cada dia mais potente. Claro que você tem todo o direito de impor alguns limites, porque, realmente, existem meninas que abusam demais das roupas supercurtas. Mas não reprima a garota, não.

Cachorrona, gostosa, tesudinha!
É a primeira vez na cama? Então segura a boca aí! Nada de “elogiar” a menina logo de cara, afinal, não é todo mundo que gosta desse tipo de submissão. Trate a moça de uma forma geral, mas sempre deixando claro (não com essas palavras, lógico) de que ela é especial. E única!

Ai, que sono!
Trabalhou, estudou, dançou, cantou, exercitou? Bobo, quem mandou não reservar um tempo para a sua namorada? É totalmente chato a garota chegar em casa toda animada para ficar umas horinhas juntinho e você aparecer com aquela cara de acabado, desanimado e que só pensa no seu travesseiro.

Hehehe, sua “XXXX” parte do corpo é tão engraçada!
Engraçada? Não! Era para ser bonita! Não dê risada de nada, nem da barriguinha, nem pergunte se aquelas marquinhas no bumbum são estrias e se aqueles buracos na coxa são providos de celulite! Depois, se ela sair por aí comentando o quão “pequeno” você é, não vá querer tirar satisfação.

Karina ou Camila?
Não sabe o nome da moça, não é? Então adjetive! Os adjetivos fofos foram criados para serem usados, abuse na hora do sexo, elas gostam. Anjinho, docinho, trufinha, vale tudo, só não vale pagar mico e errar o nome da moça. Todo mundo já cansou de ver em filmes o bolo que isso dá!

Nossa, foi muito bom! Você já fez bastante, né?
Eufemismo, não? Você chamou na cara larga a moça de experiente. E, nesse quesito, talvez o status não seja tão bacana. Comente o sexo, claro, faz bem, mas não pergunte ou comente sobre relações passadas. Comparações estão out, inovações estão in.

Deita, fica quietinha e deixa que eu faço tudo!
Sem comentários. A única coisa que posso dizer é uma dica de resposta para a garota: “Ok, então faça bom proveito das suas mãos…”, levanta, joga o cabelo, faz a sua melhor cara e saí andando. Pronto, ganhou a noite, rs.

E de resto, de louco, todo mundo tem um pouco….

Mas e aí, você tem mais alguma coisa que os homens não devem nunca dizer para a mulher? Manda aí nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
11/03/2008 - 11:47

É preciso fazer sexo todos os dias?

Compartilhe: Twitter

Quando jovens, tudo o que queremos é achar alguém para fazer sexo. Não importa se há ou não amor, se conseguimos alguém no final da noite, saímos no lucro. Com o passar (e pesar) da idade, a virilidade masculina vai sumindo aos poucos e o sexo, apesar de necessário, não é tão latente quanto no auge dos 18 anos. Amanda, leitora do iBoy, mandou um e-mail dizendo que o seu namorado de 23 anos já não quer mais fazer sexo todas as noites. Detalhe: ela tem só 17…

Uma das grandes dúvidas da Amanda (e aposto que a de muitas outras pessoas também) é saber se esse desinteresse sexual é um sinal de traição. Talvez sim, talvez não, afinal, fazer amor, apesar de ser gostoso, pode cansar um pouco. E há dias em que já estamos bem cansados, estressados, com várias tarefas para cumprir e, por isso, acabamos deixando um pouco de lado a atividade sexual. E sem contar a diferença de idade, né? Você, com 17 anos, está na idade da revolução dos hormônios. Seu namorado já passou por isso e eu aposto que ele marca presença, só que não com tanta freqüência. A solução? Divirta-se sozinha! Só não adianta ficar em cima dele, provocando-o e forçando-o a fazer algo, a noite pode acabar mal…

Caso você ache que há traição na parada, fique atenta para alguns detalhes: o cheiro, o interesse dele por você, o jeito que ele te trata… Tudo pode indicar se há outra pessoa entre vocês. O sexo, se praticado pelo menos duas vezes por semana, é totalmente ideal (e sinta-se sortuda por ter alguém fixo para fazer isso, poxa).

E olha só, os brasileiros ficaram em segundo lugar no ranking dos povos que mais fazem sexo. De acordo com a Pesquisa Global de Bem-Estar Sexual, realizada em 26 países por uma marca de preservativos, cada brasileiro tem, em média, 145 relações sexuais por ano e 82% dos entrevistados disseram que fazem sexo ao menos uma vez por semana. Viu, seu namorado está tão na média..

E aí, você também se encaixa na média dos brasileiros?

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
04/03/2008 - 08:52

Oi gatinha, quer teclar?

Compartilhe: Twitter

Ter um namorado hoje em dia não é fácil. A mulherada está atacada e segurar o homem debaixo da sua saia pode dar mais trabalho do que o comum. Com a internet, então, as coisas tendem a ser mais complicadas. É fato: atualmente, as pessoas prezam mais por um namoro virtual do que real. Quantas vezes o computador não é usado como único meio de comunicação entre dois pombinhos?

Samanta, uma leitora do blog, enviou um e-mail que caiu como uma luva para o post de hoje. Aí vai um trecho: “Um dia, eu e meu namorado resolvemos trocar de Messenger, cada um entrou com o usuário do outro. Assim que fiquei on line, uma guria mandou uma mensagem me chamando de ‘gostoso’. Não sabia quem era, não puxei assunto pois fiquei com medo do que poderia vir mas também não tive coragem de perguntar à ele sobre a menina. O que você acha, ele me traí pela internet?”

É óbvio que a web facilita muitas coisas, né? Redes sociais e bate-papos estão aí o tempo todo, lotados de gente de todos os tipos. No caso de Samanta, o melhor é perguntar ao namorado, assim não restarão dúvidas. Mas e no geral?

Eu não sou a melhor pessoa para falar de comportamento na internet, confesso. Em toda a minha vida on line, eu sempre fui despreocupado e despretensioso, muitas vezes, até vulnerável. Hoje, com uma visão mais peculiar sobre a rede, digo que, aqui, tudo pode acontecer. Mentiras, traições, jogos, encontros, troca de imagens, webcam, papo, som, tudo é possível. Vocês, por exemplo, não fazem idéia de quem está escrevendo esse post, acreditam em um perfil escrito ao lado que é totalmente contrário à minha imagem real.

Em uma relação sadia, o certo é não manter segredo algum com o companheiro. Não hesite em mostrar o Orkut, os amigos do Messenger e até trocar a senha do e-mail com a pessoa. Atos como esses podem ser considerados como uma forma de invasão de privacidade, afinal, na internet você tem a vida que quiser, e não a vida real. Porém, eles ajudam a manter e aumentar a confiança, só assim você vai saber o que ele pode estar fazendo quando você está longe.

Mas cuidado para não confundir as coisas! Se ele te passou as senhas, não vá ficar conversando com as pessoas se passando pelo garoto. Aí é trocar os pés pelas mãos, já que, num ato feito para fortalecer a confiança, você só a está quebrando.

Por fim, não adianta chorar. Ou você confia no que tem ao seu lado ou prepare-se para viver uma vida bem complicada. Por mais avançada que esteja, a internet ainda não consegue dar uma coisa: o amor. Esse é o diferencial.

E você, já viveu alguma situação parecida por causa da web? Comente!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
Voltar ao topo