Publicidade

Publicidade

Arquivo de dezembro, 2007

27/12/2007 - 16:06

Ele viajou e eu fiquei. O certo é me vingar?

Compartilhe: Twitter

É final de ano e quase todo mundo vai comemorar a virada em um local bem longe de onde estão acostumados a viver. Alguns vão à praia, outros ao campo e tem aqueles que vão para bem longe, tipo outro país. E você vai ficar em casa, chupando o dedo e vendo o show da virada pela televisão? Pois é, querida, é a vida… Mas seguinte, vamos aos fatos: ele te convidou? Você tem condições de ir junto? Com quem ele está indo? Ele te avisou? Ele vai ficar com os amigos? Para onde ele vai? Pois é, são várias perguntas que você deve ponderar com cuidado para não acabar fazendo besteira.

Não é porque ele se foi que você deve se vingar e fazer algo, certo? Ficou chateada que vai ter que passar a virada sozinha? Então espere e ligue para ele. Aposto que é a primeira pessoa que você quer desejar um bom ano e, infelizmente, não vai poder estar ao lado para olhar nos olhos e dar um grande beijo. Não tente deixá-lo com raiva e acabar estragando a viagem dele. Não queira sair e ir para a balada por vingança, depois tirar várias fotos e publicar em todos os locais só para mostrar que você também se divertiu. Você tem todo o direito, é claro, de fazer isso. Mas pensa bem, vai valer à pena? O seu garoto provavelmente vai estar com saudades, também.

Está desconfiada? Não vale ficar ligando o tempo todo por dois simples motivos:
1- ele quer se divertir, ele vai se encher se você ficar rastreando-o;
2- ele vai começar a ‘esquecer’ o celular dentro de casa propositalmente e daí, querida, você vai criar váááárias caraminholas em sua cabecinha.

Está com raiva? Quer xingar, brigar, bater? Espere o menino voltar. Lembre-se: todo mundo tem uma vida e todos têm o direito de vivê-la. Por mais difícil que seja aceitar isso, você tem que entender que o seu ciúme doentio pode acabar estragando o relacionamento de vocês. Se você ainda não acordou e enxergou isso, então se prepare para aprender na marra e da maneira mais cruel possível…

Quer fazer charminho? Espere até que ele volte. De verdade, se você estragar a viagem dele por criancice, ele terá todo o direito de ficar muito nervoso contigo. E com certeza não é o que você quer, né? Então larga disso, deixe ele se divertir, aposto que ele merece!

Agora respira, lê as dicas da Thaís no “Dica do Dia” e lute para começar 2008 com o pé direito, com tudo resolvido e ben tranqüila, sem ciúmes, confiante, com um relacionamento estável e de bem.

E que venha 2008! Um beijo para todo mundo que comenta aqui e obrigado pela participação nesse ano. Até 😀

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
23/12/2007 - 07:15

Amo meu namorado, mas tenho vergonha dele

Compartilhe: Twitter

Você já saiu na rua com o seu namorado e, quando viu uma amiga se aproximando, tentou escondê-lo, apresentando-o como apenas ‘um amigo’? Pois é, apesar de afirmarem que gostam muito de alguém, existem certas pessoas que sentem vergonha dos seus ‘casinhos’. Ou será que você nunca percebeu que ela não te chama para sair com a família e os amigos?

Eu vou levar esse post para o lado bem pessoal: se eu gosto de alguém, por mais difícil que seja, eu tenho vontade de mostrar para todo mundo que essa pessoa está comigo, é minha namorada e ninguém pode se aproximar. Como é possível ter vergonha de alguém que você está junto? Não é, simplesmente. Se você está gostando realmente de uma pessoa, não pode ter vergonha! Ela precisa se sentir querida, amada por você.

Amanda, de 22 anos, disse que já passou por essa situação em uma balada. “Eu fiquei com um cara que era meio gordinho, ele, tipo, parecia o Rufos, do Popeye, daí senti vergonha de contar para as pessoas que tinha beijado ele”. Já para Luiz, de 18 anos, o primeiro beijo foi meio ‘constrangedor’. “Eu estava numa festa e a menina me olhando, cheguei e beijei. Ela era mais velha e eu adorei. Daí, claro, quis continuar, mas ela me disse que ia ter vergonha de dizer para as amigas que ficou com alguém tão novo. Fiquei mal”.

São dois casos diferentes, enquanto um sentia vergonha de quem gostava, o outro era o motivo da vergonha. Para cada caso, uma atitude: se você fica acanhado quando está com alguém, é porque você não gosta por completo. Pondere a relação, veja se é o que você quer realmente para você. Se decidir que sim, assuma! Agora, caso você seja o motivo da vergonha, é melhor abrir os olhos. Tente conversar, peça por uma explicação. Talvez a coisa seja bem mais boba do que você pensa.

Mayara Geraldini, de 23 anos, tem a cabeça mais aberta e encara a situação de uma maneira diferente. “Primeiramente, você tem que identificar o porquê dessa vergonha. Se é alguém que não vale à pena, desencana, não tem que se gastar com isso. Mas se o problema é a opinião das outras pessoas, daí você tem que pensar bem no que viável ouvir. Se você tem baixa auto-estima, vai precisar da aprovação das suas amigas para ser feliz com o cara. Não tem que pensar assim, ele te faz feliz? É com ele que você quer ficar? Então não se apegue no que os outros falam”, afirma.

Acho que, na maioria dos casos, o que acontece é exatamente o que Mayara disse. A opinião das amigas sempre acaba pesando em um relacionamento e você fica insegura em relação ao seu garoto. Apenas lembre-se: nem todo mundo é bonzinho. Você já pensou que esses comentários podem ser criados por inveja ou ciúme? Pois é. Comece a acreditar em você e siga o seu coração. Faz bem para todo mundo…

Mas e você, já sentiu vergonha de algum(a) namorado(a)? Responda nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
18/12/2007 - 13:20

Feia? Que nada, você é mais bonita do que pensa…

Compartilhe: Twitter

Para você, garota, que já namorou, é comum ficar na frente do espelho se arrumando toda para acabar linda e estonteante e encantar o seu namorado, não é? Neste último final de semana, sai com uma ex-namorada e a vi fazendo algo diferente, que nunca tinha feito antes, enquanto namorávamos, mas resolvi ficar calado. Até que ela me disse que, se fosse na época em que estávamos juntos, ela nunca iria sair sem maquiagem e se produzir dentro do carro, ao meu lado. Então eu fiquei pensando: será que elas pensam que nós as achamos feias?

Bom, particularmente, eu acho que tudo não passa de baixa auto-estima e falta de segurança. Nunca passou pela cabeça de vocês que, se um garoto namora contigo, é porque ele gosta de você do jeito que você é? Tudo bem que uma produçãozinha básica faz bem para todo mundo – eu já disse várias vezes que ninguém iria gostar de namorar uma largada. Mas precisa ficar tão preocupada com essas coisas mesmo? Qual é o problema de se maquiar do lado do seu namorado? Ou pedir por auxílio na hora de escolher a roupa que deve vestir? Eu não vejo nenhum! Na verdade, acharia até divertido poder opinar em qual blusinha minha namorada vai pôr hoje. É uma forma de fazê-la ficar linda especialmente para mim, já que é meu gosto refletido ali, no corpo dela.

Claro que existem vários tipos de situações. Você pode muito bem preparar uma surpresa e colocar a sua melhor roupa para encantar o garoto. Uma coisa que aprendi em meu último relacionamento foi não deixar passar pequenos detalhes, mas que fazem muita diferença. Nunca percebi o esforço que uma menina faz para ficar com o cabelo tinindo ou a preocupação que ela tinha em achar uma blusa com o caimento perfeito em seu corpo. E o pior, as garotas geralmente fazem tudo isso para receber somente um “uau, como você está linda hoje” de seu namorado. E nós, bobos, acabamos engolindo esses elogios. Então fica a dica para os garotos: elogie, é disso que elas gostam!

E para as meninas, acho que é bom deixar alguns medos de lado. O menino gosta de você e ponto final. Se produza, é claro, para ele. Mas sempre acredite em você mesma, saiba que sua beleza é única e você é linda por muitos motivos, não só pelo o que transparece em seu rosto.

Mas e você, o que costuma fazer antes de sair com o seu namorado? Comente aí!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
14/12/2007 - 08:00

Até que ponto vale se meter na vida do namorado?

Compartilhe: Twitter

Quando duas pessoas assumem um relacionamento, involuntariamente, a vida destes acaba se fundindo. Amigos, rotina, hábitos, família e outros fatores acabam se tornando uma grande massa comum entre as duas pessoas. Por exemplo: você é uma garota que vivia rodeada de amigos até que, um dia, obviamente o seu namorado começa a ficar com ciúme de todos eles. No geral, a solução para as meninas é única: reclusão.

Uma das coisas mais difíceis para se conciliar na vida a dois são os relacionamentos. Quando alguém fica perdidamente apaixonada, é comum que se exclua de todo o seu grupinho habitual para que fique o maior tempo possível ao lado de quem se gosta. E é aí que o abuso começa. Se você é possessiva, vai acabar fazendo tudo o que a outra pessoa faz só para ter certeza de que não há ninguém entre vocês. Cegamente, você acaba invadindo a vida do seu namorado por ciúmes e insegurança.

Dois se tornam um
De começo, essa frase pode até parecer romântica. Algum tempo depois, ela se torna um enfado. Caso você seja alguém inexperiente em relacionamentos, a primeira grande paixão acaba te iludindo de que sua vida anda obrigatoriamente junto à de alguém. Ok! Vamos por partes. Aí vai uma bomba: nada no mundo funciona assim. Ambos têm pernas que devem seguir caminhos isolados. Negócios, amigos e família só devem se conciliar quando os dois forem extremamente íntimos e amados. Não troque os pés pelas mãos e dê espaço ao seu companheiro. Ninguém gosta de viver em uma bolha, sufocado, tendo que pensar em cada ato que irá tomar por causa da namorada.

Caso vocês dois se amem demais e querem fazer parte da vida do outro, comece devagar. Não chegue ‘causando’ na vida do menino, dê tempo ao tempo e espere a relação ficar sincera e forte o bastante para poder cobrar certas coisas. Não adianta reclamar que ele não te leva para sair com os amigos, geralmente, uma pessoa precisa acreditar em um relacionamento, ver um futuro para a situação, para que comece a mostrá-la a todos.

Inconsequentemente, sempre que nos envolvemos com alguém, nos tornamos peças chaves em suas vidas. Só não vale exigir que você seja a primeira na lista de prioridades. Amar é bom, mas há certos limites e algumas outras coisas que devem ficar acima.

E você, acha comum que namorados tornam suas vidas uma só? Comente!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
08/12/2007 - 06:23

Demonstração de afeto em público

Compartilhe: Twitter

Você tem um namorado que te gruda entre quatro paredes mas te trata como outra qualquer na frente dos amigos? Você odeia quando tenta ser uma fofura com ele, abraçando-o no meio da rua e apertando a sua mão enquanto está no cinema e ele te recompensa com uma cara feia e um gesto brusco? Acredite, você não está sozinha!

Os meninos têm medo. Medo da impressão que irão causar em seu círculo social se te tratarem como uma princesa, medo dos comentários que irão surgir indagando a sexualidade dele, medo de serem chamados de fofos. E vergonha! Muitos garotos sentem vergonha de andar juntinho da namorada por aí, por mais comum que isso seja. Para muitos, basta alguns “eu te amo” falados da boca para fora de vez em quando que está tudo certo. Algumas meninas, no entanto, vieram me perguntar sobre esse amor: parece-me que elas não ligam para o que é falado. Elas querem ver, sentir e acreditar no nesse sentimento.

Pois bem, a situação é complicada. Seu namorado não precisa passar o mês inteiro de mãos dadas contigo, mas também não pode fingir que você não existe quando estão lado a lado. Vá devagar, trate-o bem e faça que ele perca essa vergonha. Primeiro, ele tem que deixar de lado todo esse preconceito e medo das amizades, ninguém tem que provar nada a ninguém, se ele te ama, tem que deixar bem claro para todo mundo que você é dele e ponto final.

Mas você também não pode exagerar. Não grude no garoto, deixe-o respirar um pouco. E existem algumas situações constrangedoras. Ninguém merece ser chamado de “fofuxinho” ou “coisinha-lindinha-da-namoladinha-fofinha” no meio do restaurante, né? Tudo depende da intimidade e do nível em que a relação de vocês está! Se você quer um namorado fofo, então você pode conversar com ele e dizer que gosta de se sentir querida na frente das suas amigas. Mas tudo não passará de status e isso não provará nada para você. Apesar de que é muito bom se sentir querido de vez em quando…

Mas e você, já conheceu alguém ou viveu algo parecido com isso? Comente aí!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
04/12/2007 - 14:17

Será que ele é?

Compartilhe: Twitter

Você namora um menino supersensível, romântico, educado e o ama demais. Ele é, basicamente, tudo aquilo que você sempre sonhou. O problema são os seus amigos, que insistem em dizer que ele é homossexual devido a algumas “falhas” que o garoto possui: ele odeia futebol, chora vendo filmes românticos e é um pouco nojento com relação a algumas porquices que todos os garotos fazem. E aí, será que ele é?

Jéssica, uma estudante de 17 anos, já passou por uma situação parecida. “Ele era fofo demais e todas as minhas amigas diziam que ele cortava para os dois lados. Comecei a ficar encucada, mas nunca tive coragem de perguntar isso para ele. Afinal, ele era meu namorado!”, diz a garota. “Um dia peguei o celular dele e vi algumas mensagens duvidosas, tomei coragem e indaguei: não deu outra, ele estava me traindo com outro garoto.”

Antes de tudo, você não deve se deixar influenciar sobre o que os seus amigos pensam de seu namorado. Você o conhece melhor que todas as outras e provavelmente irá saber se ele gosta de você ou não. Se está em dúvidas, bom, acho que é meio complicado de descobrir a real. Se você chegar e perguntar isso a ele, com certeza a situação vai ficar feia para o seu lado, afinal, como Jéssica disse, como você pode duvidar da sexualidade do seu próprio namorado?

Se você tem certeza de que ele é macho mesmo, é só ignorar o que os outros falam. Ninguém tem o direito de se meter em sua relação e cada pessoa tem algumas características próprias, ninguém precisa ser machão e provar o tempo todo do que realmente gosta. Basta saber se ele te faz feliz.

Para Jéssica, que teve um namoro duradouro – foram quase dois anos juntos – a conclusão foi simples. “Gay ou não, ele foi um dos grandes amores da minha vida e hoje temos uma ótima relação de amizade. O que ele fez comigo não foi certo, é claro, e machucou demais quando descobri. Mas ele é mais homem que muitos outros por aí, que se escondem a vida inteira e são infelizes por isso. Até onde eu sei, agora ele é feliz…”.

Não há explicação e não existe uma forma de você confirmar as suas dúvidas, até que você pegue-o em flagrante. O que você pode fazer é começar a fechar o cerco e ir atrás dos fatos, conseguir juntar todas as informações e ter algo para acusá-lo. Enquanto isso, tente deixar os preconceitos e opiniões dos outros de lado e curta o garoto. Quem ama, sabe quando é está sendo amado.

Mas ajude aí, você já passou por alguma situação parecida? Comente o seu caso!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
Voltar ao topo