Publicidade

Publicidade

Arquivo de novembro, 2007

29/11/2007 - 16:58

De repente 30…

Compartilhe: Twitter

Imagem Ilustrativa

Ele tem 25, você 18. Apesar da diferença de idade parecer ser pequena, acredite, você vai sofrer bastante para conciliar e entender a sua relação. A grande questão vai estar, na verdade, na mentalidade de cada um. Existem quarentões com cabeça de adolescentes e alguns jovens que estão bem mais avançados do que aparentam. Mas tem que ter muita coragem para entrar em um relacionamento assim…

Tudo vai estar em volta da troca de experiências entre os dois. O respeito vai ser essencial, antes de tudo. Cada um terá uma visão bastante diferente do mundo devido às suas experiências de vida. São tempos diferentes e, como sabemos, a cada ano que passa, várias novidades surgem por aí e ninguém é obrigado a se adaptar. Um bom exemplo é a internet: se você namora alguém com uns sete anos a mais que você, talvez ele não vá entender o motivo de você querer ficar online no Messenger ou ver quem te deixou recadinhos no Orkut.

Namorar alguém mais jovem pode dar uma nova dose de energia para a pessoa, que, talvez, estava se sentindo “velha” e, por isso, feia e muito normal. A energia jovial se perdeu no tempo e as prioridades de vida mudaram. Com alguém mais novo em sua vida, as coisas podem mudar significativamente. Se o seu caso for ao contrário e você encontrou alguém muito mais velho, talvez você ganhe uma sensação de segurança nova, nunca sentida antes, quando se relacionava com alguém da mesma faixa etária que você.

O que fazer? Viva as diferenças! Não há como se adaptar totalmente ao outro, você não precisa se tornar uma jovem senhora só para agradar o seu namorado e ele não precisa freqüentar os shows de rock que você adora. Apenas tentem conciliar os gostos, não mergulhe de cabeça no vínculo de amizades do parceiro (talvez eles não te aceitem de primeira, você tem que mostrar o motivo pelo qual aquela pessoa se apaixonou por você) e seja você mesma o tempo todo, dando à ele motivos para lutar para que dê certo e a sensação de renovação não acabe.

Caso vocês não se entendam nunca e percebam que estão vivendo em um mar de diferenças, ciúmes e preconceito, conversem e tentem falar “na mesma língua”. E se a diferença de idade for gritante, você ainda vai ter que se adaptar com o resto da sociedade, que, com certeza, irão questionar o motivo de vocês estarem juntos

Fica a dica: por experiência própria, aproveite que você encontrou alguém tão diferente de você para se divertir e aprender. É uma das principais graças de todos os relacionamentos…

E você, já namorou alguém mais velho/novo? Comente aí!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
27/11/2007 - 14:51

A difícil hora de dizer “adeus”

Compartilhe: Twitter

Aproveitando o post da VJ Amanda Barbie, que preparou um top 10 de músicas apropriadas para a infeliz hora do “adeus” de um relacionamento, alguém já parou para pensar como é difícil tomar coragem e dizer “acabou” para alguém? Na maioria das vezes, por pior que a situação esteja, algumas pessoas costumam arrastar o relacionamento por comodismo até chegar ao limite, quando os dois já perderam o respeito e todo aquele sentimento bonito de amor acaba se tornando exatamente o oposto: ódio.

Encarar nos olhos e dizer que não rola mais é sinônimo de constrangimento se você não estiver bem “preparada”. Caso você esteja pensando em colocar um ponto final na sua relação, primeiro você tem que certeza de que é isso que você quer, se preparar, respirar fundo e tomar coragem. Daí é seguir com determinação e ir até o fim. Com certeza, na hora da verdade, o garoto irá tentar contornar a situação, dizendo que te ama e que vai fazer de tudo para mudar. É óbvio que se ele gosta de você, não vai querer te perder. Tudo é uma questão de discussão: antes de chegar nesse ponto, converse. Não chegue jogando que não agüenta mais, que quer terminar o namoro e ponto.

Não sabe se é isso mesmo que você quer? Lucasof, editor do canal Atitude e autor do blog “O Lado Homem da Coisa“, só percebeu que não dava mais quando sua vida pareceu atolar em um ponto. “A vida estava insuportável, à beira do caos. Nada andava e eu estava com vontade de ficar com outras pessoas, de me desamarrar. Até sentia saudades quando não estava com a pessoa, mas quando estávamos juntos, em cinco minutos, queria morrer. Aí só me restava não esperar o respeito acabar e terminar”, afirma Lucas, de 24 anos, que namorou quatro meses até perceber que não dava mais.

Terminar um relacionamento requer muita, mas muita coragem mesmo. Você só deve tomar essa atitude quando perceber, como no caso acima, que não tem mais jeito: é isso ou se afundar de vez em algo que não tem futuro.

Para Beatriz, 22 anos, a hora do “adeus” deve ser preparada com antecedência. “Eu sou bem prática nessas coisas, se já tenho minha decisão, não tem porque ficar enrolando. Talvez seja melhor para os dois lados, mas tudo depende do relacionamento. Mas se eu achar que devo tomar uma atitude, tenho que estar decidida”, relata a garota.

É tudo questão de preparação e avaliação. Como já disse, você tem que ter certeza que é isso que quer. Se estiver decidida, vá em frente, mas não desista no meio do caminho. Por mais que você goste de alguém, há certos limites para todas as coisas da vida.

E você, já terminou algum relacionamento? Conte como foi nos comentários!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
22/11/2007 - 14:03

Ele só pensa em estudar. E agora?

Compartilhe: Twitter

Domingo é o dia de um dos vestibulares mais importantes do país. Seu namorado, um garoto esforçado, dedicado e superestudioso quer ter a certeza de que irá passar – ainda preza por uma boa colocação. E você apóia o garoto, obviamente, afinal, é o futuro dele que está em jogo. Mas a pressão vai aumentando e a situação chega ao limite: ele não sai mais de casa porque só pensa em estudar. E agora, o que fazer?

Bom, por mais determinação que se tenha na vida, tem que saber se controlar e arranjar um tempinho para as outras coisas. Cinco ou seis horinhas que o menino gastar com você na semana não irá prejudicá-lo tanto. A dificuldade vai ser você mostrar isso a ele. Comece insistindo e batendo o pé que ele deve sair um pouco com você, caso contrário, ele irá ficar louco de tanto informação. Se ele ficar enfurnado nos estudos o tempo todo, irá ficar nervoso na hora da prova e esquecer tudo o que estudou. Então peça a ele um tempo, quem sabe você não consegue acalmá-lo e distraí-lo?

Que tal fazer uma visitinha surpresa? Acho bem improvável ele te dispensar se você aparecer com um almoço na casa dele. Daí aproveite para conversar um pouco, botar os amassos em dia e o fazer esquecer os livros um tempinho. Depois, por que não fazer um convite? Fale que está passando um filme no cinema que você quer muito ver e seria legal se ele fosse com você – caso contrário, você vai ter que chamar aquele amigo bonito seu que ele tanto odeia. Faça um pouco de ciúme, é bem provável que você ganhe a situação.

Caso você queira apoiá-lo (afinal, é só uma fase, quando as provas acabarem, ele volta a te dar 100% de atenção), por que não o ajuda a estudar? Converse com ele, fala que você pode “tomar” algumas coisas dele, para ver se está expert no assunto. Ele deve gostar disso!

Isso deve adiantar. Caso contrário, parta para o plano “B”: ameace-o! Apesar de ser “errado”, o garoto tem que te dar atenção. Ele é seu namorado, poxa! Então dramatize a situação, fala que você vai embora, largá-lo e ir para a balada sozinha, solteira. Se ele gostar de você, vai perceber que está te perdendo e que deve fazer algo para salvar a relação.

Sempre lembrando que isso é arriscar o seu sentimento – e que pode ser em vão. Se vocês terminarem, pelo menos coloque na cabeça que você tentou de tudo para fazer dar certo. Mande um abraço e saia para a farra ;D

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
16/11/2007 - 08:00

Cola, chiclete e afins… Eu quero alguém 24h só para mim!

Compartilhe: Twitter

Acordar ao lado do namorado, tomar café da manhã, almoçar, passear, dormir, telefonar, conversar, namorar, brincar e… êpa! Quem é que nunca sonhou em achar um companheiro para viver 24 horas ao seu lado, ficando inteiramente a seu dispor e, mesmo quando longe, preocupado com você, ligando o tempo todo ou deixando recados pela internet? Apesar de ser muito bom ficar o máximo de tempo ao lado de quem você, infelizmente, você não pode esquecer que o mundo ainda não se restringe a duas pessoas: você e ele.

Possessiva. Esse é o termo que te define se você é uma garota que precisa de atenção o tempo todo. E carente, é claro – e de loucos, todos temos um pouco. A questão é a seguinte: você gosta dele, ele te faz bem e você, obviamente, vai querer ele coladinho o tempo todo na barra da sua saia. Mas a vida não é assim não, menina, você não pode esquecer que ele não nasceu no momento em que te conheceu e, por isso, tem toda uma vida para levar onde, em alguns momentos, você ainda não se encaixa. Lembre-se sempre de deixar o outro respirar para, assim, evitar que a sua relação se torne algo sufocante.

Ele não me liga
Tem gente que gosta de telefone, tem gente que odeia. Você já perguntou isso para ele? Pois então, vocês não precisam se falar ao telefone o tempo todo, afinal, o dinheiro gasto em conta telefônica pode render em coisas melhores, como um jantarzinho romântico no final de semana ou um cineminha a dois. Caso você sinta muito falta dele, então ligue de vez em quando, mas nem por isso você deve começar a monitorar e fazer do celular do garoto um GPS. Deixa o menino viver e tenha um pouco de confiança no seu taco. Comece a acreditar no que ele diz, deixe-o sair com os amigos e saia você também, oras bolas.

Ficou on, mas não me manda olá
Se você é daqueles que, como eu, espera que a pessoa que entrou no Messenger depois de você te mande um oi, então você terá grandes problemas. Eu sei bem que a vida pára quando a pessoa amada se conecta e você não consegue fazer nada enquanto um “olá” não aparece na janelinha piscante. Descobri há pouco tempo que a vida do lado de dentro do monitor não tem tanta graça quando eu imaginava. Apesar de a internet promover várias facilidades para o relacionamento (como conversas a qualquer hora, webcam, chats com microfone e afins), ela ainda não consegue transmitir a inigualável sensação de se receber um grande a apertado abraço da pessoa amada. Nem um “eu te amo” baixinho, no pé do ouvido. A web pode ter suas vantagens, mas você não deve se preocupar por ele ser um pouco “frio” com você no mundo virtual. Se ele gosta de você e é carinhoso ao vivo e a cores, então relaxe com relação a isso, é só a impossibilidade que um chat tem de transmitir emoções.

Ele senta do outro lado da sala e nem olha para minha cara
Vergonha, talvez? Tem gente que morre de medo de demonstrações de afeto em público enquanto outras pessoas acham isso essencial. Pode ser paranóia, pode ser saudade, pode ser um zilhão de coisas, mas vocês dois só ficarão bem quando estiverem sozinhos. Sério mesmo, relaxe!

Você não precisa ficar ao lado do carinha 24 horas por dia, você não precisa se tornar um chiclete para manter a relação legal. Só seja você mesmo e mostre, de todas as maneiras possíveis, que você gosta de verdade do garoto. Se ele souber disso e vocês dois se darem superbem quando estão juntos, não tem de reclamar. Só aproveite esse tempo para se divertir, oras.

Agora comenta aí: o que você acha de pessoas que ficam o tempo todo grudadinho, os famosos chicletes?

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
13/11/2007 - 12:50

“Enquanto escrevo esta carta, mando meu amor pra ti…”

Compartilhe: Twitter

“… lembre-se que eu sempre
estarei apaixonado por você…”
The Beatles – P.S. I Love You

Antes, você não via a hora do final de semana chegar e poder gastar um tempinho ao lado do seu garoto. Agora, você adora os dias de semana e começa a ficar com aquele sentimento de angústia quando a sexta-feira vem chegando e a hora de se encontrar com o gato se aproxima. Se isso está acontecendo, é hora de rever um pouco os seus sentimentos. Afinal, (quase) nada nessa vida dura para sempre…

Um dos primeiros sintomas que alguém sente quando ‘deixou de gostar de alguém’ é o desinteresse crescente em relação à vida da pessoa. Caso você não queira mais saber o que ele faz, não espera uma ligação no final da noite e até deixou de fuçar nos scraps do Orkut dele, provavelmente é que aquele encanto que rolava no início da relação passou e você está começando a desencanar do garoto. Mesmo assim, isso não quer dizer que você não goste mais dele, não.

Na dúvida, não faça nada precipitado. Respire, pense o quanto tal pessoa te faz feliz e avalie novamente a relação. Sobe um friozinho na barriga quando o celular toca e você vê que é aquele número? Você fica desesperada quando o garoto fica online e espera ansiosamente por um mero “oi”? Antes de sair de casa, você pensa em se vestir do melhor jeito para agradar aos olhos do menino? Então não se preocupe, a relação pode ter esfriado um pouco, mas o sentimento ainda não morreu.

O sofrimento é um dos melhores “apontadores de final de relação“. Todos sabem que amar alguém não é fácil, você vive sofrendo por ciúmes e medo de perder a pessoa querida. Se, algum dia, você perceber que já não rola mais isso, então é hora de conversar. O ciúmes marca – quando não doentio – o desejo de alguém perante o outro. Se você ama mesmo alguém, com certeza rola, mesmo que pouco, esse sentimento. É uma maneira de você tentar proteger o que é seu. Quando você deixa de sentir ciúmes, é que já não há mais necessidade de frisar essa proteção.

Geralmente, quando estamos apaixonados, o outro se torna prioridade em nossa vida. A gente sempre acaba colocando-o em primeiro lugar nas nossas atitudes. Por exemplo, você viu que vai estrear aquele filme que você tanto quer ver. Quem é a primeira pessoa que vem à sua cabeça para te fazer companhia? Seu namorado? Então você provavelmente ainda gosta dele e quer muito estar ao seu lado. Sua amiga? Tudo bem, todo mundo precisa dos amigos para se divertir. O primo da sua amiga que você odiava? Xiii…

Basicamente, você simplesmente sabe quando deixa de gostar de alguém. Porém, percebi esses dias que existem algumas meninas que ficam nesse dilema por sentirem falta de alguém específico. Particularmente, eu acho que só sentir falta não é o bastante para se gostar. A pessoa pode te fazer bem de vez em quando e, por isso, você sente falta. Mas quando se gosta realmente, ela deixa de ser uma “falta” e se torna “necessidade“.

Mas e você, já se “desapaixonou” por alguém algum dia?

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
07/11/2007 - 11:59

Curricullum vitae para namorados

Compartilhe: Twitter

Solteironas de plantão estão na busca por um namoradinho perfeito? Então saiba que o seu príncipe encantado pode estar mais perto do que você imagina – talvez até ali, do outro lado da sala em que você está sentada agora. Se você anda paquerando um garoto e não sabe nada sobre ele, então está na hora de começar a pesquisar. Claro que você não pode fazer uma entrevista de emprego com cada garoto que aparecer em sua frente, mas nada como dar um jeitinho e descobrir as coisas que ele gosta para, assim, você ver se vocês têm algo realmente em comum.

As respostas básicas para qualquer relacionamento são: nome, idade e localidade. O nome é fácil, basta você perguntar para conhecê-lo. Para um garoto, também não há problema algum em revelar a real idade e, para descobrir o lugar em que ele mora, acho que basta perguntar. São pontos fundamentais para o início de um relacionamento, imagina só se ele tem 30 anos e mora no Acre e, você, 16 e vive em São Paulo?

Depois de algum tempo de conversa, comece a contar um pouco da sua vida para ele se abrir e choramingar a dele também, assim você vai descobrir se ele estuda, trabalha, o que faz da vida, os gostos musicais e culinários, os lugares que costuma freqüentar, o tipo de garota que ele gosta e o que ele visa encontrar em um relacionamento. Claro que você não pode chegar perguntando sobre o tipo de meninas que o agrada, deixe isso para depois, quando vocês já tiverem um pouco mais de intimidade.

Está na hora de conhecer as “experiências profissionais” do garoto. Se vocês estudam juntos, é bem provável que ele já beijou alguma menina da sua escola. Libere um pouco do seu veneno e tente entrar em contato com a garota para descobrir como o menino a tratava, se o beijo dele era bom (detalhe: gosto não se discute, ela pode ter odiado o beijo do menino e você pode achar que ele tem o melhor beijo do mundo). Claro que isso servirá só como um “extra” para o seu “conhecimento” sobre o garoto, não deixe que tudo o que essa “ex” disser influencie na sua escolha.

Quando você já tiver todos os dados do menino coletados, é hora tirar tudo da cabeça e botar o corpo para trabalhar. Agora é a hora da decisão. Beija ou não beija? Namora ou não namora? Aí, assim em como todos os empregos do mundo, basta arriscar. Se você já sabe um pouco sobre o menino e acha que ele não irá te magoar, contrate-o!

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
02/11/2007 - 11:56

Como salvar o seu namoro

Compartilhe: Twitter

Existem certos momentos dos relacionamentos em que eles ficam em “crise”. É a hora que você entra em desespero por pensar que não gosta mais do garoto ou que ele não está feliz ao seu lado. Se você já passou ou está passando por isso, não fique com medo, todo relacionamento tem os seus momentos bons e ruins. A boa notícia é que há maneiras de contornar a situação.

O básico e a melhor opção nesses casos é discutir a relação. Sente com o seu garoto e converse com ele de uma maneira objetiva e sem se exaltar. Não adianta ficar nervosa e começar a ofendê-lo, isso só vai destruir mais a relação. Pergunte, antes de tudo, o que está acontecendo, por que ele está distante e se ele ainda gosta de você. Diga tudo o que você está com vontade de falar para o menino, desabafe, abra o seu coração. Com certeza, as coisas irão melhorar.

Se o garoto disser que está tudo bem e que você está ‘noiada’, tente mostrar que ele está errado. Exemplifique o seu ponto de vista com momentos que vocês já viveram e não ocorrem mais, diga que você sente falta de ‘romantismo’ e ‘dedicação’ da parte dele.

Caso você ache que não tem mais jeito, evite decisões precipitadas. Não termine o relacionamento de cabeça quente, todo mundo passa por alguns momentos ruins na vida que acabam afetando todas as pessoas que gostamos. Peça um tempo para respirar, afirme que você ainda gosta do garoto, só que quer ficar algum tempo sozinha, para repensar e ordenar a sua vida.

Agora pondere: se o garoto gosta mesmo de você, ele pode se decepcionar um pouco e se mostrar um pouco nervoso com a situação. Não o reprima, ele tem todo o direito de ficar assim. Caso você queira mesmo dar um tempo no relacionamento, você não pode pedir para que ele fique esperando você voltar, infelizmente. O menino vai ficar livre para fazer o que desejar.

Muita gente diz que é bem chata essa ‘discussão’ da relação. Não é verdade, ela faz bem. Quando os dois entram em consenso, vocês podem acabar dando uma nova cara para o namoro e se apaixonarem ainda mais. É tudo uma questão de conversar.

Agora diz aí nos comentários: existe melhor forma de salvar um relacionamento?

Autor: - Categoria(s): Posts antigos Tags:
Voltar ao topo